Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2008

Feliz 2009!!!

O Ano Novo ainda não tem pecado: É tão criança... Vamos embalá-lo... Vamos todos cantar juntos em seu berço de mãos dadas, A canção da eterna esperança. (O Ano Novo - Eterno Espanto - Mário Quintana) ... Que 2009 entre para a história universal como o ano em que a Terra foi salva pelo extraordinário e notável esforço de cada um de seus habitantes. Muita paz a todos! :DDD

Keep Walking

A menor distancia entre dois pontos é uma linha reta. Para começar basta dar o primeiro passo e depois: Continuar caminhando. ... Rápido intervalinho antes do último post do ano, que será na quarta-feira de manhã. Enquanto isto: keep walking! :DDD (Excessos depurados. Exagerada demais. rs)

Arte Näif - os poetas do pincel

"A arte naif é simples, pura, autêntica e não exige prévios conhecimentos intelectuais e artísticos para ser compreendida, chega direto ao nosso coração e toca nossa alma sem subterfúgios, somente ultrapassando o filtro de nossas emoções. " Galeria Ardies , especializada em Arte Naif. Elon Brasil Tico-Tico no Fubá de Noel Rosa com Carmem Miranda A arte Näif ou arte ingênua é um estilo de pintura produzido por artistas autodidatas ou sem preparo técnico e que se caracteriza também por um olhar singelo e puro. É uma pintura quase sempre alegre, viva, colorida focada em detalhes da vida nas cidades ou nos campos, mostrando tradições, festividades folclóricas ou a natureza e aspectos afetivos das relações humanas. Embora a pintura autodidata exista desde o princípio dos tempos, como estilo surgiu em Paris, por volta de 1890, logo depois do pós-impressionismo (Van Gogh, Lautrec, Gauguin, etc), tendo como precussor Henri Rousseau. Atualmente o Brasil é um dos maiores exp

Feliz Natal

Fonte da imagem: http://www.psdesign.org/ilustracao.html Amigos, Desejo a todos vocês que esta data seja de muito amor e alegrias. Sintam-se abraçados com todo meu carinho. Feliz Natal! :D

Declaração Universal dos Direitos humanos

Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui o fundamento da liberdade, da justiça e da paz no mundo; Considerando que o desconhecimento e o desprezo dos direitos humanos conduziram a actos de barbárie que revoltam a consciência da Humanidade e que o advento de um mundo em que os seres humanos sejam livres de falar e de crer, libertos do terror e da miséria, foi proclamado como a mais alta inspiração humanos; Considerando que é essencial a protecção dos direitos humanos através de um regime de direito, para que o homem não seja compelido, em supremo recurso, à revolta contra a tirania e a opressão; Considerando que é essencial encorajar o desenvolvimento de relações amistosas entre as nações; Considerando que, na Carta, os povos das Nações Unidas proclamam, de novo, a sua fé nos direitos fundamentais humanos, na dignidade e no valor da pessoa humana, na igualdade de direi

O desejo de confessar

“Precisamos de livros que nos afetam como um desastre, que nos magoam profundamente, como a morte de alguém que amamos mais do que a nós mesmos. Um livro tem que ser como um machado para quebrar o mar de gelo que há dentro de nós.” (Franz Kafka) Pra ser sincero - Engenheiros do Hawaii Apesar do nome russo que soa tão complicado, Fiodor Dostoievsky tem uma escrita simples, pura e crua, sem rodeios, direto ao ponto. Fosse apenas pela forma que escreve, diria que é um dos mais fáceis de se ler, mas pelo conteúdo a estória é diferente... Crime e Castigo é sobre um jovem (Raskolnikov) culto, inteligente e muito pobre que mata uma senhora idosa e rouba seu dinheiro, ainda que não consiga usufruir deste, escondendo-o apenas. Apesar de suspeito não é preso. Assoberbado pela culpa vai aos poucos sentindo um forte impulso ou desejo de confessar o crime e receber um castigo que o absolva. Na outra ponta um investigador inteligente e paciente aguarda o que considera uma confissão inevitável.

Intervalinho com Shake - Zucchero

" Porque não compra um barco, E navega pelo mundo? Indaga ela. Você é imperdível, ri, feliz, O homem sem sentido, Que jamais morará em um barco. " ... Lembranças de Natal - RN

Projeto Papai Noel

Foto: Sonho de Criança - Autor: Gemerson H Dias " Esta é uma época de confraternização, e para a maioria das crianças, de sonhos. Algumas, têm o privilégio de ver esperança e encantamento por onde passam, de realizarem os seus sonhos e de terem seus pedidos atendidos pelo Papai Noel, outras já perderam isso há muito tempo. Há uma forma de levarmos um pouco de magia e aconchego a essas crianças, que se sentem desamparadas e esquecidas pelas pessoas, pelo mundo e até pelo bom velhinho. Com o fiozinho de fé que lhes resta, algumas escrevem cartinhas para o Papai Noel, que acabam ficando depositadas nos Correios (na “Casa do Papai Noel”). Os pedidos muitas vezes são um tênis para jogar futebol, uma caixinha de lápis de cor para a escola, uma camiseta,... As cartinhas estão lá, à espera de que a Mamãe Noel ou o Papai Noel que mora em nossos corações, atenda ao pedido de uma delas. É muito simples fazer um desses pequeninos felizes, e custa muito pouco diante do estado de graça q

Beijos que nunca te dei - Benno Assmann

O Beijo - Rodin Beijos que nunca te dei Lembra daquele beijo que nunca te dei? Lembra do dia que não saímos abraçados E não passeamos no parque E não te comprei uma rosa E não te paguei um sorvete? Depois, não fomos ao cinema e não te cobri de beijos, nem minha mão se aproveitou da escuridão e não explorou tuas coxas. Lembra quando meus olhos não brilharam como diamantes ? quando pela primeira vez não te declarei meu amor? E que depois não fomos a um motel e não nos amamos loucamente, alucinadamente, desmioladamente. E que não perdemos a noção do tempo, desabraçados que estávamos. Não te lembras? Pois se nada disso aconteceu E eu nunca vi os teus olhos, É como se tivesse vivido Tudo que não fiz, Tudo que não vivi, E os beijos que não te dei ainda adocicam meus lábios, E o amor que nunca jurei ao teu ouvido, Ainda flutua no ar dos meus sonhos. E se apurares bem os ouvidos Ouvirás o rumor das minhas palavras e escutarás bem baixinho: Te amo pra sempre Benno Assmann ... Conheci Ben

Pablo Picasso - Guernica e a Pomba da Paz

"Não, a pintura não está feita para decorar os cômodos. É um instrumento de guerra ofensivo e defensivo contra o inimigo." Pablo Picasso, sobre Guernica. A Paz - Gilberto Gil Pablo Picasso foi um artista espanhol singular tanto pela assombrosa capacidade de produção (doou 2.000 telas para o Museu de Picasso e era apenas parte de sua vasta obra), como pela diversidade de técnicas que dominava além da pintura (escultura, litografia, cerâmica, gravura, colagens, etc.) e também pelos estilos adotados. Foi o fundador do cubismo e é considerada dele a primeira colagem em pintura. Sua personalidade ainda intriga os críticos e estudiosos. Por um lado, um "bon vivant", apreciador da vida e das mulheres, por outro simpatizante do Anarquismo e filiado ao Partido Comunista. Recusou-se a pegar em armas na Primeira Guerra Mundial, na Guerra Civil Espanhola e na Segunda Guerra Mundial. Alguns acham que por pacifismo, outros por covardia. É dele Guernica , a pintu

Imagine - John Lennon

Imagine (tradução) Imagine que não existe paraíso É fácil se você tentar Nenhum inferno abaixo de nós E acima apenas o céu Imagine todas as pessoas Vivendo para o hoje Imagine não existir países Não é difícil de fazê-lo Nada pelo que lutar ou morrer E nenhuma religião também Imagine todas as pessoas Vivendo a vida em paz Talvez você diga que eu sou um sonhador Mas não sou o único Desejo que um dia você se junte a nós E o mundo, então, será como um só Imagine não existir posses Surpreenderia-me se você conseguisse Sem necessidades e fome Uma irmandade humana Imagine todas as pessoas Compartilhando o mundo Talvez você diga que eu sou um sonhador Mas não sou o único Desejo que um dia você se junte a nós E o mundo, então, será como um só. ... Alguns artistas olham, buscam e trabalham apenas pela beleza estética, pela perfeição da imagem ou da forma, outros como os que postei anteriormente nesta série ousaram converter seus sentimentos de angústia e impressões de dor em o

Os Homens Ocos - T. S. Elliot

Boomed - Oscar Pilch Os Homens Ocos ( T. S. Eliot ) "A penny for the Old Guy" Nós somos os homens ocos Os homens empalhados Uns nos outros amparados O elmo cheio de nada. Ai de nós! Nossas vozes dessecadas, Quando juntos sussurramos, São quietas e inexpressas Como o vento na relva seca Ou pés de ratos sobre cacos Em nossa adega evaporada Fôrma sem forma, sombra sem cor Força paralisada, gesto sem vigor; Aqueles que atravessaram De olhos retos, para o outro reino da morte Nos recordam - se o fazem - não como violentas Almas danadas, mas apenas Como os homens ocos Os homens empalhados. II Os olhos que temo encontrar em sonhos No reino de sonho da morte Estes não aparecem: Lá, os olhos são como a lâmina Do sol nos ossos de uma coluna Lá, uma árvore brande os ramos E as vozes estão no frêmito Do vento que está cantando Mais distantes e solenes Que uma estrela agonizante. Que eu demais não me aproxime Do reino de sonho da morte Que eu possa trajar ainda Esses tácitos di

O Corvo - Edgar Allan Poe

The Raven - ilustração de Gustave Doré O CORVO Edgar Allan Poe Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste, Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais, E já quase adormecia, ouvi o que parecia O som de alguém que batia levemente a meus umbrais «Uma visita», eu me disse, «está batendo a meus umbrais.» «É só isso e nada mais.» Ah, que bem disso me lembro! Era no frio dezembro, E o fogo, morrendo negro, urdia sombras desiguais. Como eu qu'ria a madrugada, toda a noite aos livros dada P'ra esquecer (em vão) a amada, hoje entre hostes celestiais — Essa cujo nome sabem as hostes celestiais, Mas sem nome aqui jamais! Como, a tremer frio e frouxo, cada reposteiro roxo Me incutia, urdia estranhos terrores nunca antes tais! Mas, a mim mesmo infundindo força, eu ia repetindo, «É uma visita pedindo entrada aqui em

Van Gogh e Edvard Munch

Campo de trigo com corvos - Vicent Van Gogh - 1890 Dizem que este foi o último quadro pintado por Van Gogh que teria se suicidado uma semana depois, com um tiro no peito disparado por uma arma que emprestara com o propósito de espantar os corvos. Muitos críticos viram no céu tempestuoso, nos corvos revoltos como anjos negros e na agitação do trigo uma clara demonstração do estado de espírito tumultuado do pintor que entremeava momentos de lucidez com outros de delírio devido à sua doença mental. O Grito - Edvard Munch - 1893 Pintada apenas 3 anos após a de Van Gogh, esta tela de Munch tornou-se tão famosa e iconoclástica quanto aquela. Aqui um personagem andrógino, sem cabelos como se doente, torto e deformado está a gritar e a tapar os ouvidos como se assim pudesse interromper ou deter o que o incomoda. Todo o quadro expressa dor, angústia e desespero. A exposição que o mostrou pela primeira vez foi considerada tão perturbadora que um crítico recomendou que grávidas não

Banners da Itinerante

18 - Fadinha 17 - Death 16 - Ninho 15 - Espantalho 14 - Van Gogh 13 - Joyce 12 - Elektra 11 - Cisne 10 - Flor de Lótus 9 - Duna 8 - Natal - RN 7 - Muro 6 - Itinerante Modificado 5 - Picnic Romântico 4 - Sidney 3 - Jsh 2 - Praia 1 - Itinerante Para que não me perca no futuro, para que quem não viu, veja, para quem quer rever, enfim... :D

Unidos por Joyce Tacila e Santa Catarina

Joyce Tacila Esta jovem conseguiu com seu carisma e alegria granjear a simpatia de vários blogueiros e a partir de hoje a noite e até amanhã a noite, estaremos Lobo, Minnie, Índia, Sidney Soares, Naty do Bastidores do BBB9 e eu unidos, votando muito para que ela tenha a oportunidade de participar de uma entrevista em que apenas 150 dos 200.000 mil inscritos irão. Clique no banner para entrar no halos em que estaremos unidos votando e papeando: PLANTÃO 48 HORAS Clique na imagem para votar. ... Santa Catarina Sei que aqui é um espaço de lazer, feito justamente para esquecermos um poucos as mazelas diárias e massacrantes da real life, mas me sentiria extremamente fútil dispendendo tantas energias em prol da Joyce ao mesmo tempo em que Santa Catarina vivencia tanta dor e tristeza. Acabei de sair da Federação Espírita de São Paulo onde estão fazendo uma enorme e bela campanha de arrecadação de água postável para eles. Fiquei emocionada com a quantidade de doações que já conseguir

Eu, gripada e cansada + Joyce Tacila

Desculpem... Completamente sem condições de pensar em qualquer outra coisa além disto. Bem, ao menos conhecem minha voz, de meu jeito de falar. Assim sinto que estarei mais próxima de vocês. Semana que vem, depois da votação da Joy e espero já totalmente recuperada desta gripe, retomarei as postagens normais do blog. :D Ah... A gravação fica em looping. Para interromper, clique na setinha da fita. Novo vídeo de Joyce Tacila Para votar ou para a conhecer melhor, clique aqui . ... Sobre o banner, sou eu dormindo no quarto do Van Gogh, ou melhor, na tela que pintou do quarto em que viveu em Arles. Chama-se Bedroom in Arles e foi pintada em 1888. Coloquei a reprodução do quadro original no halos, sem minha digamos, releitura. rs. Veja mais trabalhos de Van Gogh no Arte Ilumina a vida , da Thania.

Joyce Tacila - A candidata da Itinerante

A Joyce não é perfeita. Ao contrário... Nos vídeos que postou para a inscrição no BBB escancara suas virtudes ou a falta delas com uma sinceridade e crueza por vezes chocante. Na primeira vez em que vi seu perfil (descoberta do Lobo!) e li aqueles comentários nas fotos e depoimentos, rolei de rir. A frase de chamada era "Pau de arara é a vovozinha!" e logo de cara dava uma dura nos contatos que diziam estar votando direto nela e as tags não saindo do lugar. Nós a acompanhamos nestes meses todos e vimos com satisfação passar pela entrevista e pelo funil. Encontrou-nos, virou amiga. Gente como a gente. E gente boa, sincera, real. É uma garota, levada da breca, que sonha com o milhão do BBB. Não faz tipo. Não é santinha e nem pecadora. Nem mais pobre e nem mais rica. Nem mais e nem menos egoísta, inteligente ou experiente que qualquer um, mas talvez seja mais verdadeira, mais espontânea e tenha mais atitude do que muitos que já passaram ou estão por passar na casa. E é

Às Favas com os Escrúpulos

Dessa vez o trânsito colaborou, e mesmo com chuva, cheguei tranquilamente a tempo de assistir a peça Às favas com os Escrúpulos, em exibição no teatro Clara Nunes, localizado no Shopping da Gávea. A peça é do Juca de Oliveira, com direção de Jô Soares, e tem no elenco (na ordem das fotos) Daniel Warren, Bárbara Paz, Bibi Ferreira, Gracindo Júnior e Neusa Maria Faro. A peça é simplesmente maravilhosa!!! É uma comédia que tem duas horas de duração, na verdade duas horas de uma aula de interpretação da magnífica Bibi Ferreira. Estou impressionada em como uma senhora de 86 anos tem tanta memória pra segurar duas horas de peça sem titubiar em nenhum momento, com direito a troca de figurino, raríssimas saídas de cena de sua personagem e com um humor... gente quando falam que ela é o máximo e os artistas ficam rasgando seda pra ela, eu até pensava que era um exagero, mas ontem pude conferir que realmente ela é uma mega atriz. O elenco todo, estava afinado, e todos estavam ótimos nos pers

Joyce - A candidata da Itinerante

Elektra - Quando nossos heróis morrem

"- Não era ela que me atormentava. Era eu que não a deixava em paz." - Matt Murdock (Demolidor) Morte de Elektra by Frank Miller Elektra Nachios morreu, Demolidor vive atormentado pelas lembranças e o autor Frank Miller tortura-nos com a possibilidade de que ela esteja viva no topo gelado do Tibete, em um templo budista, resgatando sua alma corrompida pelas trevas e escuridão. Este post é para quem pensa que quadrinhos é coisa de crianças, para introduzir Frank Miller, o autor que deu dimensão humana aos superheróis e também porque adorava Elektra, o amor dos dois e fiquei triste quando tudo aconteceu. Relembrei agora, com os coments sobre o final do Lago dos Cisnes e desejei postar. Desculpem a tristeza toda, mas combina com meu momento. Para quem quiser saber mais sobre Elektra, Demolidor e o autor, Frank Miller: Elektra - Vida e Morte