WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

domingo, 30 de novembro de 2008

Van Gogh e Edvard Munch


Campo de trigo com corvos - Vicent Van Gogh - 1890



Dizem que este foi o último quadro pintado por Van Gogh que teria se suicidado uma semana depois, com um tiro no peito disparado por uma arma que emprestara com o propósito de espantar os corvos.

Muitos críticos viram no céu tempestuoso, nos corvos revoltos como anjos negros e na agitação do trigo uma clara demonstração do estado de espírito tumultuado do pintor que entremeava momentos de lucidez com outros de delírio devido à sua doença mental.




O Grito - Edvard Munch - 1893



Pintada apenas 3 anos após a de Van Gogh, esta tela de Munch tornou-se tão famosa e iconoclástica quanto aquela.

Aqui um personagem andrógino, sem cabelos como se doente, torto e deformado está a gritar e a tapar os ouvidos como se assim pudesse interromper ou deter o que o incomoda. Todo o quadro expressa dor, angústia e desespero.

A exposição que o mostrou pela primeira vez foi considerada tão perturbadora que um crítico recomendou que grávidas não a visitassem.

...

Embora tenhamos por convenção considerar a arte uma expressão do belo, diversos artistas colocaram em suas obras algo da angústia e da dor de viver e o fizeram de forma tão magnifíca que se eternizaram como ícones da arte, ou seja, do belo.

Embora perturbadoras pelo conteúdo são talvez mais reais e verdadeiras do que aquelas que apenas retratam o belo e o perfeito, porquanto aproximam-se mais de nossa condição humana e mortal.

Nas próximas postagens trarei para vocês algumas destas obras, tanto da pintura, quanto da literatura, da poesia e da música. Espero que apreciem. :D

0 comentários:

Posts relacionados: