segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Carmina Burana - Carl Off

Vista pelos antigos como deusa do acaso, a Roda da Fortuna na Idade Média
representava tanto a Roda da Vida, que elevava o homem até o alto
antes de deixá-lo cair de novo, como a Roda do Acaso,
que não parava nunca de rodar e indicava a mudança perpétua
que caracteriza a natureza humana. Fonte: Hottopos








Ó Fortuna
FORTUNA IMPERATRIZ DO MUNDO
Carmina Burana - Carl Off


Ó Fortuna
és como a Lua
mutável,
sempre aumentas
e diminuis;
a detestável vida
ore escurece
e ora clareia
por brincadeira a mente;
miséria,
poder,
ela os funde como gelo.


Sorte monstruosa
e vazia,
tu – roda volúvel –
és má,
vã é a felicidade
sempre dissolúvel,
nebulosa
e velada
também a min contagias;
agora por brincadeira
o dorso nu
entrego à tua perversidade.


A sorte na saúde
e virtude
agora me é contrária.

e tira
mantendo sempre escravizado.
nesta hora
sem demora
tange a corda vibrante;
porque a sorte
abate o forte,
chorais todos comigo!


...


Os carmina burana ( do latim carmen,ìnis 'canto, cantiga; e bura(m), em latim vulgar 'pano grosseiro de lã', geralmente escura; por metonímia, designa o hábito de frade ou freira feito com esse tecido) são textos poéticos contidos em um importante manuscrito do século XIII, o Codex Latinus Monacensis, encontrados durante a secularização de 1803, no convento de Benediktbeuern - a antiga Bura Sancti Benedicti, fundada por volta de 740 por São Bonifácio, nas proximidades de Bad Tölz, na Alta Baviera. O códex comprende 315 composições poéticas, em 112 folhas de pergaminho, decoradas com miniaturas. Atualmente o manuscrito encontra-se na Biblioteca Nacional de Munique.

Carl Orff, descendente de uma antiga família de eruditos e militares de Munique, teve acesso a esse códex de poesia medieval e arranjou alguns dos poemas em canções seculares para solistas e coro, "acompanhados de instrumentos e imagens mágicas”.

Fonte: Wikipedia

Saiba mais aqui.




Versão "profana" com Michael Jackson em Dangerous - Adrenalina pura!


1 comentários:

Paulo N. disse...

Fui assistir Carmina Burana no Credicard Hall, espetáculo, o inicio e o fim, os momentos mais legais mesmo, parte da opera é sobre, amor odio e os 7 pecados capitais, etc uma cena q marcou em minha mente a mulher gorda sentada sobre o canhão, no fim do ato o canhão "dispara" ensurdecedor e tudo se apaga ... fantastico
mais um post q eu balanço no lustre de empolgação, como "o corvo" ...

Posts relacionados: