domingo, 3 de maio de 2009

Novos rumos para A Itinerante



Olá amigos,

Voltei! Peguei carona com Índia, Mineira, Naty e Thania. rsrs

Não vou dizer que foi por falta de tempo. Foi também, mas o motivo principal foi não ver mais sentido neste blog nos últimos meses.

Entrei na blogosfera pelo BBB e A Itinerante nasceu do interesse de ter um ponto de reunião para os amigos que fiz no programa, principalmente. A estes foram se juntando outros, mas esta foi a origem.

Passamos o restante de 2008 à espera do BBB9, ansiando por bagunça, agitação e reencontro com tantos que imaginamos que voltariam com o programa.

BBB chegou, acabou e nada aconteceu. O programa foi pífio e sequer consegui ter um favorito. Não houve animação ou bagunça. Os amigos esperados não retornaram, alguns blogueiros também não voltaram e outros que ainda resistiam até mesmo pararam de postar em plena edição ou male mal acompanharam, como Sidney Soares e Kane.

E eu que já estava desanimada, broxei completamente. :(

Fazer o quê aqui? Continuar falando de arte não me parecia convidativo o suficiente. Os posts são muito trabalhosos e meu interesse no assunto neste momento é pequeno demais para tanto. Seguir postando estas bobeirinhas parecia sem sentido.

Aproveitar meu pouco tempo livre lendo, assistindo filmes, conversando com amigos no msn e skype pareceu mais lógico e foi o que fiz enquanto esperava uma luz.

Apaixonei-me pelo vampiro Edward, da série Crepúsculo. Vi o filme algumas vezes e li os 4 livros e 1 manuscrito, encantada.

Stephanie Meyer não é uma escritora excepcional, mas uma contadora de estórias sem igual. Seus livros são envolventes e a estória é cativante pela pureza e verdade do amor dos 2 adolescentes. É literalmente de dar água na boca o personagem do vampiro Edward. Um homem que toda mulher digna deste nome quereria mordendo sua garganta. rs

Enfim...

Terminando de ler, estava em um estado pior do que o anterior, por que se juntando ao tédio agora tinha a ressaca da falta de novidades da série. Um novo filme por ano e talvez, só talvez, a conclusão de Sol da Meia-Noite daqui a alguns meses.

Foi quando decidi criar meu próprio personagem e contar sua estória. Após algumas semanas deliberando, dando forma a personagens e enredos, comecei a escrever ADRIEL.

É a estória de amor entre um anjo e uma mulher humana. Adriel, o anjo que vive na terra como se fosse humano, belo demais, doce, compassivo e terno. E Maise, uma jovem meio inadequada para a vida moderna, impulsiva, incapaz de cuidar bem de si mesma, mas sincera, altruísta e bondosa.

Quando os sentimentos se estabelecem entre ambos viverem separados deixará de ser uma possibilidade, mas permanecerem juntos será impossível, pois ele não poderá continuar vivendo como humano e terá que retornar aos planos celestiais.

O cenário é uma vila simples de aldeões próxima a uma praia selvagem em uma região cheia de Elementais da natureza como Fadas, Gnomos e eventualmente conseguirei inserir um pégasus ou um unicórnio. Sei que é uma estória irreal, surrealista, mas é assim que é minha imaginação.

Estou escrevendo sem a pretensão de uma grande obra prima literária e ainda precisarei fazer uma bela correção ortográfica e gramatical ao final, se chegar lá, mas no momento gostaria apenas de conseguir contar bem a estória de um amor belo e eterno, puro e até ingênuo, tal qual imagino, de transmitir os conceitos que admiro e o amor que sinto pela natureza.

É uma tentativa de resgatar melhores sentimentos, moral e valores esquecidos ou esmaecidos pelo rolo compressor da vida material, um retorno ao romantismo, ao naturismo.

Nas pesquisas que fiz, percebi uma proximidade grande entre o que quero contar e uma teoria religiosa que ainda não conhecia, chamada Teosofia e também com a Wicca e, de certa forma, com todas as seitas que celebram a natureza. Gostaria de ressaltar que embora o pensamento seja muito próximo é uma mera coincidência e que não participo de nenhuma delas, embora possa sentir simpatia por todas.

Penso em ir postando aqui os capítulos já escritos, para quem quiser acompanhar. Quem não gostar do gênero, do enredo, da forma ou simplesmente não estiver com saco para ler, fique totalmente a vontade para não o fazer. Eu também não leria antigamente. Espero apenas que continuem passando de vez em quando para me dar um alô.

Antes, porém, penso em fazer alguns posts rápidos de introdução a este mundo fantástico de Anjos, Fadas, Gnomos, Elfos, etc... para que se familiarizem. Então, não se assustem com conteúdo das próximas postagens. rs

Beijos e uma ótima semana a todos. :DDD


0 comentários:

Posts relacionados: