Pular para o conteúdo principal

45) Noivado


Aquele mês passou muito rápido com os preparativos para o casamento e todas as cerimônias.

Tana estava eufórica, absolutamente incontrolável e colocou todos os encantados para trabalhar. As fadas artesãs costuravam e bordavam sem parar, fazendo os vestidos das cerimônias e um enxoval completo para Maise e nossa casa. Tudo era tecido com a seda fabricada em Etera, tão pura e leve que enlouqueceria de desejo o estilista mais famoso.

Minha casa estava sendo colocada de pernas para o ar com uma faxina rigorosa e novas disposições dos móveis. Era ali que moraríamos, embora tenhamos decidido manter a cabana como casa de hospedes e também para noites de nostalgia. Nunca poderíamos desfazer-nos daquele local que já abrigara o amor de Luna e Artur e agora o nosso.

Antônio e Marta também adoraram a novidade e ele fez questão de oferecer a festa em sua casa. Acertamos a data com o cartório e com a igreja. Maise estava encantada com o charme bucólico da pequena capela de Portal e seus olhos ficavam sonhadores sempre que falávamos do casamento.

Eu estava preocupado com as alianças. Incomodava-me ver a mão de Maise sem um símbolo de nosso compromisso, mas não tinha como comprar sem ir a São Pedro, o que só poderíamos fazer dali a alguns dias. Na primeira visita a Etera descobrimos que ela tinha herdado toda uma coleção de jóias reais e apaixonou-se pelo anel preferido da rainha, cujo desenho lembrava uma flor. Era realmente bonito e diferente e ficou sendo sua aliança.

Quando fomos para São Pedro, ela fez questão de que eu também usasse uma aliança, embora recusasse a oferta de comprarmos-lhe outro anel. Desta forma, fomos primeiro de tudo a uma joalheria, onde escolhi um modelo que combinava com meu estilo e gravamos nossos nomes e datas no interior.

Maise telefonou a François e combinou um jantar sem nada adiantar. Quando chegamos e viram nossos anéis, seus pais ficaram contentes. François disfarçou, ainda que fosse evidente sua decepção. Acabou alegrando-se um pouco quando disse que no outro dia iríamos à galeria em busca de novas peças para minha coleção.

Eles aceitaram o convite para o casamento em Portal e ficariam hospedados na pequena pensão da vila, juntamente com os outros convidados dela: seus advogados, dois professores e alguns amigos de seus pais. Tínhamos já reservado todos os quartos para o evento. Era um ambiente simples e bem diferente do que François e seus pais estavam acostumados, mas era charmoso, bem arrumado e penso que iriam sobreviver. Minha casa já estava reservada aos convidados de Celes e o complexo também estava lotado com os convidados de meus assistentes.

Não quis ir junto quando ela foi comprar lingerie, mas desde o momento em que retornou com os pacotes, comecei a suar frio de ansiedade, principalmente pela sua expressão maliciosa. Naquela noite, quando adormeceu não resisti e abri sua mala. Um erro que me fez passar praticamente todas as noites em claro até o casamento. Quando ela adormecia e eu fechava os olhos, logo imaginava-a em cada um daqueles trapinhos sedutores e tinha que tomar banho atrás de banho com água fria.

Nestas noites chegava a questionar a idéia de esperar até o enlace, mas queria tanto que nossa primeira noite fosse especial que consegui resistir, ainda que a cada dia sentisse-me mais ansioso e desesperado de desejo.

Estava preparando uma surpresa para nossa lua de mel. Viajaríamos por quase um mês, mas não lhe contei nada sobre nosso destino, o que a deixou contrariada. Embora adormecesse logo sob minha influência, ela também sofria com nossas noites castas e começamos a evitar beijos, por mais singelos que fossem. Foi um alívio retornar para Portal onde a presença de outras pessoas distraia-nos um pouco.

Faltavam ainda duas semanas para o casamento e fomos praticamente todos os dias a Etera. Niis, um jovem gnomo, parecia apaixonado por Maise e era sua sombra, seguindo-a a todos os locais para onde ia. Achamos engraçado quando ele declarou que era seu guarda pessoal e que era sua obrigação proteger a princesa. Acabamos acostumados a ele e ela afeiçoou-se ao novo amigo.

Niis era uma fonte inesgotável de informação, colocando-nos a par de tudo o que acontecia em Etera e através dele ficamos sabendo que existia uma diferença de poder entre as espécies, sendo os gnomos vítimas de um preconceito velado pelos demais. Niis achava que era porque eles não eram belos como eles.

Os gnomos eram gentis, amorosos e amáveis. Gnon Knur, o chefe da guarda, era um sujeito de poucas palavras e muita ação. Dava-nos a impressão de ser uma fortaleza e totalmente confiável. Ele freqüentemente censurava Niis por perturbar-nos e pedia-nos desculpas pelo comportamento do filho, parecendo realmente constrangido. Ao fim até mesmo ele teve que aceitar o fato de que nada afastaria o filho de “sua” princesa. E Maise também não imaginava Etera sem a presença do amiguinho.

Perguntamos-lhe sobre Elros e disse que Elros não era tão ruim com os gnomos, embora aparentemente não estivesse fazendo nada para derrubar esta separação invisível. Disse que não entendia como ele podia gostar da “bruxa” como se referia a Eileen. Contou-nos todas as maldades que esta fazia aos gnomos, uma raça que ela abominava.

Ele também não gostava muito das outras raças, do povo do ar, do fogo e da água. Parecia haver uma tensão no ar, embora aparentemente todos sorrissem felizes.

Todas as fadas receberam Maise muito bem e disseram que ela poderia ser como elas. Aparentemente era só uma questão de aprendizado para que soltasse suas asas e adquirisse controle sobre todos os poderes das fadas, como mudar de tamanho e forma, voar e fazer encantamentos.

Era por ter estes talentos latentes em seu sangue que conseguira ver minhas asas e minha aura e como eu tinha imaginado, bastaria treino para aumentar sua capacidade de visão.

Todas as fadas tinham um dom primordial e elas achavam que o de Maise era a harmonia. Ela tinha mesmo uma capacidade fora do normal de estar bem consigo mesma e achavam que conseguiria expandir este bem estar para fora de si, atingindo quem desejasse. Da mesma forma, talvez pudesse fazer o contrário como uma forma de defesa, mas tanto um quanto de outro dependeriam de longo desenvolvimento futuro.

Não tínhamos ainda conversado muito com Elros, preferindo antes percorrer Etera e conhecer seus habitantes melhor. Agora, praticamente na véspera da cerimônia não podíamos mais adiar e estávamos indo para um almoço no palácio real.


Texto registrado no Literar.

Imagem daqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

(FF XII) TÁ TUDO AQUI! (detonados, história, summons, mapas, dicas, gil, rare itens, farms) Só clicar.

           Responsável: Neiva  - Posts:  Neiva , André  - Colaboração:  Emanuel Traduções: Bruno , Jackson ,  Mário , Thiago , Bruno B. LEIA ISTO PRIMEIRO  SOBRE FFXII Itens perdíveis e dungeons não retornáveis História completa em português   O filme completo em inglês TRADUÇÃO EM PORTUGUÊS BR O mundo de Ivalice Raças MONTANDO A EQUIPE Personagens Como combinar classes Simulador de combos de classes SISTEMA DE COMBATE Equipe Killer Neiva   Sobre o sistema de combate e Gambits Equipe Killer André Todos os Gambits Todas as magias e técnicas MEU JOGO (NEIVA) Buffs e Debuffs Primeiras impressões Atributos Introdução Zodiac System e seu sistema de classes A Cidade Real de Rabanastre Drops raros com chains e monographs O Portão Leste Downtown EQUIPÁVEIS O Palácio R

(FF XII) Hunts (caçadas)

Por André Anastácio  A sidequest mais conhecida de Final fantasy XII com certeza é a caça aos 45 marks do jogo. Marks são monstros poderosos, que precisam ser eliminados para, de alguma forma, alguma pessoa ser beneficiada com isso.  Agora é hora demostrar como detonar essas missões paralelas. Verificando o quadro que fica nos bares das cidades (Rabanastre, Bhujerba, Baifonheim), você pode aceitar pedidos para caçar Marks. Eles vão aparecendo conforme seu Rank de caçador subir, e ele sobe conforme você mata mais Marks e inimigos. Aceitando um pedido, você deve ir falar com o cliente antes de sair para matar o monstro. Quando falar com a pessoa em questão, a mensagem "The Hunt Begins" aparece na tela, e aí é só ir caçar o bicho. E lembre-se de retornar ao cliente quando acabar a missão para pegar sua recompensa. P.S.: É altamente recomendável sempre dar steal (para roubar itens) nos monstros de caçadas pois alguns deles oferecem itens EXCELENTES e que você p

(FF XII) Espers (summons) e suas localizações

Por André Anastácio É importante lembrar como funcionam os Espers de Final Fantasy XII. Para obter um Esper, primeiro é preciso vencê-lo em combate (alguns serão encontrados ao longo da história e outros são opcionais) e após isso, associá-lo a algum personagem através do quadro de licenças. Quando for derrotado, o Esper irá aparecer disponível no quadro de licença de todos os personagens, mas apenas um poderá tê-lo. Sendo assim, é importante decidir qual Esper irá para cada personagem especialmente pelo motivo de os Espers poderem estar bloqueando espaços específicos do quadro de licença em alguns Jobs. Diferentemente da versão original, na Zodiac System os Espers utilizam a barra de Quickening (que ficam abaixo no nome dos personagens) ao invés de MP para serem invocados. Outra adição é o fato deles poderem ser diretamente controlados. Por poderem ser controlados, é possível utilizar seus ataques especiais sem precisar cumprir as (complexas) condições necessárias anteriormente.

(FF XII) Detonado basicão, direto ao ponto, com mapas e sem spoilers!

Introdução (História) BOSS: Remora Airship Continue subindo, use o mapa se necessário, há vários inimigos, mas você não precisa matar todos, no caminho há dois itens em baús, aproxime-se deles e pressione (circulo) para pegá-los. Na próxima área existe um Save Crystal, salve seu jogo e continue subindo. Depois de matar os soldados, prossiga e entre pela porta, vão acontecer algumas cenas, o jogo propriamente dito começará. The Royal City of Rabanastre with Vaan ( Mapa do castelo ) ( Mapa da Cidade )  (História) Como Vaan, mate os 3 ratos. Encontre Penelo ao norte e depois vá até a loja de itens para falar com Migelo e em seguida as lojas serão liberadas.Vá para o restaurante Sand Sea e fale com Tomaji, para receber o acessório Oluakea Bangle e sua primeira Mob Hunt, além disso, Clan Report e License são liberados no menu. Clan Report tem as mob hunts, com os nomes dos monstros, mapa do cliente (aperte quadrado) e algumas vezes o nome do lugar onde o monstro está, também te

Xenoblade Chronicles 3 - Lista de todos os Debuffs do jogo e seu significado

Xenoblade Chronicles 3 possui uma grande variedades de Debuffs, que quando usados corretamente podem dar grandes vantagens durante as lutas. Trata-se de efeitos que podem ser ativados em combate e que trazem algum tipo de consequência negativa para o alvo, como redução de ataque, defesa ou efeitos que causam dano periódico. Vale lembrar que alguns debuffs (como Eclipse Soul e  Moebius Shackles) são exclusivos para bosses até o momento. Segue uma lista de todos os Debuffs do jogo juntamente com seu ícone e seu significado para que sejam mais facilmente identificados. Attack Down (Ataque diminuído) - Reduz o dano causado ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Phys. Def. Down (Defesa Física Diminuída) - Reduz a defesa física ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- Ether Defense Down (Defesa de Ether Diminuída) - Reduz a defese de Ether --