WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

domingo, 12 de setembro de 2010

(FFXIV) Story

Introdução

EORZEA

"Uma maravilhosa prova de que os deuses não apenas existem, mas do seu amor e da sua profundeza" - Explorador e cartógrafo, Orrick Ballard

FINAL FANTASY XIV dá os primeiros passos intrépidos para um reino desconhecido, e fazendo um novo lugar para aventureiros de todas crenças chamarem de casa – Eorzea.

No mundo de Hydaelyn, o termo Eorzea denota a região geográfica composta pelo continente de Aldenard e suas ilhas, assim como a população que nasceu ali. Chamando a área de casa estão varias cidades-estados, sendo as mais notáveis Limsa Lominsa, porto agitado e eixo dos piratas; Ul’Dah uma cidade deserta rica em minerais; Gridania, aninhada em uma árvore centenária; e Ishgard, feita nas montanhas.

Dentro do reino pode-se ser achado tanto um clima áspero como um suave, tão diversos como o céu é vasto.

Gelado, paisagens desoladas para horizontes desconhecidos, suas extensões assustadoras ainda a serem percorridas.

Monstruosidades colossais espreitam a terra, como se montanhas primordial se agitassem e ressuscitassem, de todas as coisas para ser ditas obre Eorzea hospitaleira não está entre elas.

No passado as cidades-estados batalharam incansavelmente, visando dominação e hegemonia.

Tribos de bestas molestaram a terra, deixando apenas destruição em seu rastro.

Inimigos invisíveis espreitavam as fronteiras, atacando à menor provocação ou demonstração de fraqueza.

A história de Eorzea é tecida por guerras e conflitos, manchada pelo sangue dos que já foram e as lágrimas e cinzas de inúteis tentativas.

E ainda assim o amor que os Deuses carregam por esta terra dura implacavelmente, agora como sempre.

Qual a atração por esse lugar aparentemente abandonado?

Com que esperança e o que os habitantes fazem para viver os seus dias?

A resposta está no que dá forma para Hydaelyn e toda a criação myriad – Cristais.

O início de todas as coisas é nessas manifestações cristalizadas do aether que motiva as pessoas a virem, arriscando tudo.

E assim é que os aventureiros seguem a chamada para testemunhar o épico desdobrar desta terra. Esta é Eorzea.

Trecho gentilmente traduzido por Draknoir.



A Era da Aventura

Os homens estão acostumados a sofrer
E esquecer onde eles pecaram
Ne'er remete às tragédias do passado
Para que os Doze possam relembrá-los
- Desconhecido

Inúmeras luas subiram e desceram desde que tribos errantes de toda Hydaelyn chegaram pela primeira vez em Eorzea, após suas terras indomadas terem sido liquidadas. As divindades benevolentes que governavam o continente vazio e as ilhas circundantes ficaram impressionadas com a capacidade de resistência desses homens e mulheres primitivos e, em um ato de misericórdia cada um achou por bem garantir o seu bem-estar.

Esses deuses e deusas logo vieram a serem conhecidos como os Doze e as vilas prosperaram em sua luz até que a terra era constituída com várias cidades-estados independentes. Embora, onde o homem caminhe a contenda siga, e por gerações, essas nações pequenas esculpiram uma história de sangue e traição construída sobre juramentos quebrados e banhada pelo sol dos ossos caídos.

No entanto, o destino da terra iria mudar em breve. Nem quinze anos haviam passados e uma nova ameaça surgiu sem aviso prévio a partir do leste. Guerreiros de roupas de metal brandindo armas que expeliam torrentes de fogo, frotas de aeronaves gigantes soltando fumaça oleosa que iriam bloquear o sol por um dia de cada vez ...

A resistência foi reunida, mas com poucos resultados, e não demorou muito para Ala Mhigo, uma vez considerada a mais poderosa das restantes seis Eorzean cidades-estados, caísse para o poderoso Império Garlean.

Os dreadnaughts do império continuaram a sua marcha de terror pelos campos encharcados de sangue do norte, as nações restantes colocaram de lado suas diferenças e clandestinamente juntaram as mãos para formar uma aliança para garantir que eles não encontrassem o mesmo destino, caso os invasores voltassem seus olhos sul.

Felizmente nunca a invasão chegou e tão rapidamente como tinha chegado, o império tinha ido embora de novo. No entanto, os ecos de sua mensagem sinistra soou clara no coração das pessoas Eorzea e seu efeito sobre elas, profundos e irreversíveis. O reino nunca mais seria o mesma.

E foi assim que Eorzea entrou no "Age of Calm", Idade da Calma, durante o qual uma paz inquieta prevaleceu.

Para se preparar para a tempestade que se aproxima, a primeira tarefa da aliança recém-formada foi para fortalecer suas defesas. Na época anterior, algumas cidades-estados tinham mantido forças armadas organizadas, optando por contratar os serviços de mercenários e cavaleiros nas cercas para defender suas causas. No entanto, após a queda da Ala Mhigo, as unidades de guarda da cidade foram reestruturados em exércitos permanentes legítimos que poderiam ser rapidamente chamados e mobilizados em caso de necessidade.

Infelizmente, iste deixou a maioria dos lutadores de espada do reino sem lugar para declarar sua lealdade e com o seu sustento arrancado deles, muitos destes homens e mulheres recorrem a atos de vilania para sobreviver. Por medo do agravamento da situação e a terra cair no caos, vários líderes respeitados em toda Eorzea se reuniram e formaram uma rede de corporações para oferecer a essas almas perdidas uma oportunidade de redimir-se e ajudar os outros.

Através da visão e determinação desses líderes de uma nova indústria conhecido como "Aventureiros" surgiu, seu advento Usher ajudando na atual era - uma era de esperanças em um tempo que as sombras da incerteza ameaçava cada vez mais perto.

Continua...

...

Na dúvida se vou ou não conseguir jogar o FFXIV resolvi ir adiantando e traduzindo o conteúdo do site oficial. Vai que consigo, não é? rsrs

Desculpem as falhas na tradução. Sabem como é o google translate. lol

0 comentários:

Posts relacionados: