WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

(FFXIII) Explicando a primeira impressão

Uma das tartarugas gigantes de Pulse

Este post "Final Fantasy XIII: crítica, dicas e walkthrough (detonado, passo a passo)" continua sendo a porta principal de entrada para o blog.

Passados mais de 9 meses desde que foi escrito, estou um pouco cansada de responder os comentários explicando tratar-se de uma primeira impressão, que foi modificando-se com o decorrer do jogo.

À quem está chegando agora:

Final Fantasy XIII é um jogo diferente dos demais (como aliás, todo FF é diferente dos outros) e a impressão dos primeiros momentos é esta, porém conforme vai-se caminhando é como se o jogo fosse evoluindo junto, ganhando em riqueza e profundidade e mesmo em liberdade.

À partir do 3o. CD (no Xbox360), ou seja, do Cap. 11, todas as restrições deixam de existir e encontramo-nos em um vasto mundo, podendo ir e voltar para os próximos leveis encontrados nos Cap. 12 e 13.

Até lá, aos poucos, vamos podendo interferir na montagem da equipe, mudanças em armas e acessórios e, principalmente, aprendemos a lidar com os paradigmas, a grande chave do jogo para batalhas realmente épicas.

FFXIII é uma engrenagem de pequenas peças e para que funcione à perfeição temos que dominar cada detalhe: paradigmas, armas, habilidades, acessórios.

Algumas lutas requerem estratégia extremamente refinada e ajuste muito fino das configurações para serem vencidas, mas não há melhor sensação do que a vitória contra a primeira tartaruga gigante, que nos primeiros contatos liquidava com todo o grupo à primeira pisada. :DD

Existem mais de 100 armas em FFXIII e até hoje não se chegou a um consenso de qual seja melhor para cada personagem, sendo ideal ter todas, o que é praticamente impossível de ser feito antes do final da estória.

A luta por gil é uma constante que lhe acompanhará, do começo ao fim, juntando-se à luta por trapezohedron no final.

Joguei por mais de 200 horas e não cheguei a derrotar o último boss da última das 64 missões: Vercigentorix, cansada da upagem e da busca de gil/trapezohedron, que no pós game é um pouco desgastante por tratar-se de um item de drop raro e depender mais da sorte do que da habilidade. Mas ainda voltarei e concluirei. :D

A estória é extremamente rica, demandando discussões acirradas e especulações variadas net à fora até hoje e a atenção deve ser redobrada em todas as CGs para um bom entendimento.

A sessão Catalog desbloqueia parte da estória no fechamento de cada capítulo e vale conferir para não se perder. Também na sessão Catalog, confira a parte denominada Analects, que trata da mitologia, do passado de ambos os planetas.

Até hoje emociono-me ao rever as cenas finais, acredito que o melhor final de todos os FFs: deslumbrante, grandioso, épico e impressionante!

Gostaria de jogar novamente agora, com a luz de novos conhecimentos sobre o enredo e farei isto quando for possível.

E, só para concluir, eu não teria jogado mais de 200 horas e dedicado tanto tempo escrevendo textos sobre FFXIII se não fosse um jogo que valesse a pena.

Portanto, leiam meu texto inicial como ele realmente é: uma primeira impressão e aproveitem todas as dicas do Tudo Aqui de FFXIII para vivenciarem momentos realmente vibrantes, densos e emocionantes!

Bom jogo! :DDD

2 comentários:

William disse...

Olha, quando comecei a jogar o FFXIII, em 30 min de jogo eu desliguei e fiquei 3 meses com ele de molho. Simplismente ODIEI o jogo. Minha primeira impressão foi exatamente igual a sua. Suas critícas são bem fundadas e verdadeiras, por isso não vejo mal algum naquele post. 

Ps: Dei mais uma "chance" ao jogo pra compensar o investimento e agora até que está legalzinho a medida que você se acostuma com o formato linear (que por sinal condiz com enredo), o sistema de batalha começar a ser liberado, etc...E antes que eu me esqueça, parabéns pelo Blog!

Akemi disse...

eu finalizeei esse final fantasy concerteza um dos melhores ! meu favorito ainda é o final fantasy VIII,detalhe tenho só 12 anos de idade....

Posts relacionados: