WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Assassin's Creed Brotherhood: primeiras impressões, bandeiras, penas, segredos, o mundo inteiro em um jogo


Assassin's Creed Brotherhood
Desenvolvedora: Ubisoft
Gênero: Ação
Plataforma: PS3, Xbox360 e PC (em breve)
Data de lançamento: 16/11/10
Nota Metacritic: 90

Estou jogando Assassin's Creed Brotherhood (ACB) há uma semana. Tempo suficiente para formar uma primeira impressão e tenho protelado em fazer este post porque o jogo é tão grande, tem tanta coisa para se dizer que não sei nem como começar direito. rs

Apesar de ser classificado como uma aventura/ação, acho que tem um pezinho bem fincado no RPG. Mapas imensos abertos, liberdade para ir e vir, quests opcionais, bosses opcionais, áreas secretas, customização de roupas e acessórios e diversas armas. Sei que futuramente poderei recrutar cidadões e transformá-los em minha equipe de assassinos.

Eu não joguei nenhum AC anterior, de forma que tudo é novo para mim. Demorei algum tempo até acostumar-me com as habilidades de homem-macaco que trepa em praticamente qualquer saliência que exista. Sentia um pouco de tontura ao subir muito alto e olhar para baixo. Agora já estou acostumada e até que ficando rápida nos pulos de um telhado a outro. Bem legal isto.

Este jogo é tão bom, tão imenso e tão complexo que quase motiva-me a fazer vários posts sobre ele, como fiz para FFXIII e isto não é pouca coisa. Joguei FFXIII há quase 1 ano e este é o primeiro jogo que renderia material suficiente para fazer o mesmo.

Gosto de estar lá, de andar meio que sem rumo, caçando tesouros, abrindo comércios, coletando penas e bandeiras, liberando e comprando armas e hoje vou começar a queimar torres para liberar mais áreas. Gosto da sensação de liberdade do jogo, de andar à pé ou a cavalo, no solo ou nos telhados, de lutar mano-a-mano ou assassinar furtivamente com a lâmina escondida no punho ou limpar a área à distância, com a besta.

A Ubisoft é minha nova queridinha. Eu simplesmente babo com tudo que vejo dela. Toda sua presença na internet é impecável, desde seu site até o jogo complementar de Assassin's Creed no Facebook, o Project Legacy.

No jogo seu estilo é sublime. Tudo, absolutamente tudo, perfeito!!! Cenários incríveis e baseados em Roma antiga, recriada magistralmente. Áreas gigantescas, sempre repletas de pessoas comuns ou guardas. Cheio de detalhes por todos os cantos.

A comunicação com o jogador simplesmente exata: todo o jogo é intuitivo e o que não é intuitivo é exaustivamente explicado. Não há como não entender comandos ou opções. O mapa é brilhante e é impossível perder-se com ele.

Visual elegante, limpo, clean, bonito!!! E em tudo: desde as roupas de Desmond/Ezio às das pessoas nas ruas, até as armas, mapas, menus, controles. Perfeito!!!

E, ainda assim, não é suficiente...

Não sei identificar o motivo, mas não sinto-me empolgada, por mais que seja um jogo espetacular. Não  pegou-me naquela compulsão doida de fazer "só mais um pouquinho" para ver o que acontece em seguida e de pouquinho em pouquinho passar o horário sem conseguir desligar.

Vou jogar mais um pouco e volto. :D

0 comentários:

Posts relacionados: