quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Assassin's Creed Brotherhood: surge uma sensível estória de amor

O Nascimento de Vênus - Uma das mais famosas pinturas de Botticelli
cuja modelo foi Simonetta Vespucci (La Bella Simonetta),
provável inspiração para Cristina Vespucci de Assassin's Creed Brotherhood.

Continuando em meu jogo, estou na Sequência 7. Liberou ontem a noite, mas ainda não fiz nada. Já reconstruí quase toda Roma, só falta 1 torre e alguns comércios e edifícios. Destrui algumas das invenções de guerra de Leonardo da Vinci, abri algumas tocas de Rômulo, tenho 7 penas, umas 40 flags, minha Guilda já tem 2 Assassinos e 7 em treinamento chegando lá.

A missões das máquinas de Leo (já sinto-me íntima), são como mini-jogos. Atirar em inimigos disparando um canhão em uma corrida desenfreada, afundar navios inimigos com outro canhão em um barquinho, etc... Sempre em cidades diferentes. Sai da rotina. Gostosas.

As Tocas de Rômulo são labirintos em que se tem que encontrar o covil em um determinado tempo. É lógico que NUNCA consegui, lerda que sou. kkk

Só faltam 3 sequências e estas quests para finalizar o game. Comecei no dia 1o., portanto em 11 dias, novata e noob total, fiz uns 80% do game, se não quiser os troféus.

Estava jogando muito descompromissadamente, mais pelo prazer do jogo mesmo do que pela intenção de platinar ou fazer perfeito. Desta forma não tentei fazer 100% de sincronismo quase nunca. Quando rolava, ok, quando não ok também.

Agora descobri as Memórias de Cristina, 5 eventos que são desbloqueados quando se atinge determinados níveis de sincronização total (15%, 30%, 45%, 60% e 75%). A coisa mudou de figura e estou pensando se refaço algumas memórias para liberar tudo ou se assisto no Youtube apenas.

É que está ficando um pouco cansativo. As missões do tipo "não seja detectado" são um porrezinho. (Ou eu que sou ruim demais. kkk) e ficar desincronizando e recomeçando toda hora é um pé. Bom, eu poderia tentar jogar mais devagar, ter mais cuidado, planejar melhor meus passos, mas não sei se vou fazer isto. Talvez.

As Memórias de Cristina falam sobre a estória de amor entre Ezio e a jovem Cristina Vespucci.

O primeiro evento é encantador e ultra-mega-super romântico. Achei lindo e delicado. Até o momento só aqui é que senti-me realmente envolvida com o enredo.

O segundo evento é sensível, delicado e triste. Desejei ter jogado o II para entender melhor o que se passava, mas pelos eventos deu para captar a dramaticidade do momento. Emocionante. Muito boa.

Devo estar próxima de desbloquear o terceiro evento.

Cristina Vespucci, em Assassin's Creed Brotherhood, nasce em 1459 e morre em 1.498, com 39 anos, em uma invasão à sua residencia. Simonetta Vespucci, na qual teria sido inspirada, nasceu em 1.454 e morreu em 1.476, com 22 anos, de tuberculose. Casou-se com Marco Vespucci, apesar de um romance com o governador de Florença, Giuliano, que perdurou até mesmo depois de seu enlace, embora não existam provas de que foram amantes.

Achei as Memórias de Cristina o melhor da estória (até o momento).

0 comentários:

Posts relacionados: