quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Final Fantasy XIII-2: Preview da Eurogamer

Tradução da Preview da Eurogamer que saiu hoje:

Se você não gosta de Final Fantasy 13-2, é sua própria culpa.

Para melhor ou pior, a sequela do jogo difícil de amar da Square-Enix de 2.009 (FFXIII) é um produto do esforço da democracia. Desde os momentos de sua abertura, é claro que os fãs da franquia principal - ou pelo menos seus elementos mais ruidosos - tem desempenhado um papel central em como o jogo tem tomado forma.

Você se queixam de que Final Fantasy 13 foi demasiado linear? Square ouviu - os corredores aumentaram para fora. Pensei que o primeiro demorava para começar? Fixado: em FF13-2 você joga diretamente em enlouquecidas OTT batalha com boss. Você foi um daqueles que bateramo os pés com a falta de cidades para explorar e NPCs para conversar? Não tenha medo: 13-2 é mais ocupada do que Bluewater no Boxing Day. Ou talvez você enviou mensagens para condenar a falta de comerciantes ou Moogles? Alegre-se: eles estão de volta.

"Depois que terminamos de fazer Final Fantasy 13, tivemos muitas oportunidades de ouvir os nossos usuários, bem como os meios de comunicação, e para ler seus comentários," diz o produtor Yoshinori Kitase à Eurogamer na sede da Square-Enix em Tóquio.

"Nós trouxemos para dentro todos os pontos de vista - tanto positivos quanto negativos - e incorporamos essas idéias e opiniões para a elaboração de 13-2."

E a Square aparentemente foi muito mais longe do que apenas ler de algumas reclamações. Eles realmente enviaram jogadores para o estúdio para uma reunião de questionamento completa de onde eles sentiram o jogo e porque correu mal.

"Nós não apenas fizemos questionários simples, nós fizemos mais do que isso. O que fizemos foi levar a cabo muitas entrevistas um-a-um com os jogadores de Final Fantasy para recolher as suas opiniões e descobrir o que estão procurando", ele explica.

"Basicamente, queríamos construir um relacionamento muito próximo com os jogadores e deixá-los envolvidos no processo de fazer um jogo de Final Fantasy novo."

Então, o cliente realmente sabe melhor? Bem, julgando pelo jogo das primeiras cinco horas ou mais, o júri teve razão.

Como já mencionado, em nítido contraste com a lentidão do 13º no início, a sua sequela começa desde o início em um rítmo acelerado. A ação começa em Valhalla, com Lightning enfrentando um novo inimigo e principal antagonista do jogo, Caius - um dândi de cabelos roxos, aparentemente no controle da linha do tempo fraturada do universo. Após uma cinematográfica deslumbrante, estamos em linha reta em uma luta da saliência, com Lightning correndo ao longo de uma praia a cavalo, enquanto luta com a forma "Bahamut Chaos" de Caius.

A seqüência tanto como uma feroz declaração de intenções quanto como uma bem vinda atualização para o cansado sistema de batalha Paradigm Shift. Como em 13, é destaque indubitável do jogo - vertiginosamente rápida e complexa, à primeira vista, mas intuitiva e muito fácil sob uma inspeção mais minuciosa.

"Nós trouxemos todos os pontos de vista - tanto positivos quanto negativos - a bordo." - Diz Yoshinori Kitase, produtor de Final Fantasy 13-2.

Há um par de refinamentos chave desta vez, o mais bem-vindo é o recurso da nova Feral Link que lhe permite recrutar monstros que derrotou e utilizá-los como um terceiro membro de sua equipe, cada um com sua própria QTE para controlar e um carregamento de ataque especial. Ele acrescenta outra camada de profundidade ao processo, para não mencionar repetibilidade adicionais para recolher e colecionar uma multidão de coisas.

Em cima disso, a Square acrescentou mais seqüências de "ação cinematográfica" - ou, em termos leigos QTE. Em certos pontos em batalhas com boss chaves você pode desencadear uma cutscene onde uma sequência de teclas premidas e como resultado você inflige um ataque devastador em seu inimigo. Praticamente limitando-se a pressionar.

Com a batalha de chefe de abertura Bahamut fora do caminho, a ação passa para o Gran Pulse, pegando alguns anos após a conclusão do FF13. Estamos reunidos com Serah a irmã de Lightning em sua cidade natal adotiva de New Bodhum sob o ataque de uma gangue de monstros. Um misterioso novo personagem, Noel, aparece do nada para salvar o dia, recolhe Serah e embarcam em uma missão pan-dimensional complicada para reuní-la com Lightning e Snow, seu noivo desaparecido.

Como prometido, a ação que se segue é mais expansiva e menos linear do que em seu antecessor. Por exemplo, você pode passear por New Bodhum para lazer, conversar com seus habitantes e vasculhar suas casas. Da mesma forma, é-lhe oferecido um pouco de liberdade na sua rota para o destino prescrito para a próxima história, com caminhos que se ramificam em várias direções.

É, em certo sentido literal, muito longe dos corredores limitados de seu antecessor. Dito isto, tendo visto o o jogo em suas poucas primeiras áreas, todo este espaço novo é praticamente vazio de casas. Os NPCs raramente oferecem mais do que frases superficias, suas casas são estéreis e os caminhos de ramificação eventualmente dão todos no mesmo ponto. Aqui estou esperando mais um pouco de imaginação para o que estará sendo exibido no restante do jogo.

É importante notar que o jogo trás de novo o sistema de mapas Historia Crux, que permite revisitar as áreas em diferentes fusos horários, também promete ajudar a sentir-se o jogo menos linear. No entanto, não podemos comentar com autoridade sobre o quão eficaz é, como ele realmente não entram em jogo durante o jogo da primeira poucas horas.

"Estou totalmente convencido de que vai ser um sucesso." - Yoshinori Kitase

Além de ver no jogo outras grandes sequências, ocasionalmente vimos Serah transportada para algo chamado Beyond The Void e pedindo para resolver um enigma espacial a fim de mover ao longo da história. Estes diferem um pouco, mas são, basicamente, todas as variações sobre como navegar seu caminho através de quadrículos na ordem correta. É um acréscimo incomum e a implementação é um pouco desajeitada, mas serve para tornar Final Fantasy 13-2 um pouco mais como um jogo e menos como um filme interativo.

Todos estes ajustes, juntamente com a introdução de um companheiro de viagem Moogle de Serah, chamado Mog e um comerciante que aparece de vez em quando para oferecer várias poções e power-ups, demonstram respeito generoso para fãs do jogo. No entanto, é também um indicativo de falta de confiança da Square em Final Fantasy 13 em um modelo relativamente ousado e, como tudo projetado por uma equipe, às vezes tudo parece um compromisso precipitado.

Mas enquanto as mudanças podem parecer relativamente drásticas, em seu núcleo 13-2 joga muito parecido com seu antecessor - embora mais ágil e muito mais agradável. Se você foi sugado pelo espetáculo ousado e chamativo de combate de 13, você vai ser mais do que feliz com o que Square tem para oferecer aqui.

No entanto, se você rejeitou-o como um inchado melodrama CGI que exige pouco mais do jogador do que uma onda frenética ocasionais de prensas de botão para mover ao longo da história, então seus vários ajustes ao gosto popular não são susceptíveis de fornecer a reviravolta que você poderia estar esperando.

Mas então, como Kitase admite, "manter todos os fãs de Final Fantasy feliz é uma tarefa impossível. Para uma série tão longa e ostentando uma herança histórica como Final Fantasy, qualquer direção que tome a Square, somos obrigados a deixar alguém de fora no frio."

"Sempre que tomamos uma certa direção, isto significa que haverá pessoas que não vão ser perfeitamente feliz com o jogo que fazemos", explica ele. "Nós não podemos cobrir 100 por cento dos gamers. Isso seria um desafio muito difícil de assumir. Mas queremos fazer dessas pessoas o mínimo possível."

Mas e se essa relação não se mostra a favor da Square? E se 13-2 é recebido com entusiasmo ainda menor do que 13? Dado o lançamento desastroso de Final Fantasy XIV Online, é uma série que tem necessidade de sair-se bem.

"Eu não posso responder a essa pergunta porque eu estou totalmente convencido de que vai ser um sucesso", ele responde com confiança.

"Se olharmos para toda a história da franquia - agora temos 14, e talvez 15 e 16 em um futuro próximo - não foram todos os títulos de Final Fantasy que foram extremamente populares e tem alguns que as pessoas gostavam menos.

"Mas a beleza da franquia é que nós estabelecemos um novo universo e novos conceitos cada vez com os títulos numerados. Mesmo se algum jogo em particular acaba por ser um fracasso, no próximo podemos começar de novo, podemos redefinir e seguir em frente. Vai ficar tudo bem."

Fonte

...

Como este é o primeiro Preview da mídia sobre FFXIII-2 e como gostei bastante do resultado, quis traduzir e compartilhar com vocês. Apenas, lembrem-se que meu inglês não é assim estas coisas,ok?

3 comentários:

ZSeth disse...

que nada neiva, inglês otimo!!
esse jogo promote... mal posso esperar pra jogar,mas eu vivo dizendo que vou sentir falta do 3 personagem no grupo e de mais "filminhos"ao longo do jogo,mas é preconceito meu x.x
tomará que esse sistema de monstros realmente seja bom... de resto pra mim ja tá mais que perfeito kkkkk'

aitinerante disse...

O casalsinho 20 ainda não convenceu quase ninguém de que será capaz de carregar FF XIII-2 nas costas durante todo o tempo. Também estou reticente. Esperar para ver.

Como amo Pokemon, adorei a novidade dos monstros. :D

Brunoliveira disse...

Eu ainda acho que teremos mais surpresas quando o jogo for lançado, principalmente em relação à party... Ainda bem que o lançamento já está logo aí, lol!!!

Posts relacionados: