sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Como salvar Final Fantasy


Vamos ser realistas: Final Fantasy está falida.

Claro, a influente série jRPG da Square Enix ainda pode ser popular, o seu mais recente single-player vendeu 6,2 milhões de unidades no mundo. E ela ainda pode ter seqüelas, spin-offs e remakes que vendem mais do que produções de Hollywood. Mas pode fazer muito melhor. Quero dizer, Call of Duty: Modern Warfare 3 moveu 6,5 milhões de cópias em 24 horas. Como é que vamos tirar mais leite da vaca de dinheiro de Final Fantasy? Qual é a fórmula mágica para apelar ao gosto americano? Como podemos corrigir uma série que alguns dizem que foi trilhando água por mais de uma década? Aqui estão algumas idéias.

Mais DLC

Está ficando mais claro que os jogos não são feitos para serem vendidos como pacotes completos. Jogos são feitos para serem rasgados e vendidos em pedaços de tamanho médio para download. Square Enix teve a idéia certa em Final Fantasy XIII, vendendo o jogo sem nenhuma cidade, masmorras interessantes ou divertidas. Mas então eles esqueceram o DLC. Aqui estava uma legião inteira de fãs esperando por um pacote para download que transformaria Final Fantasy XIII em uma experiência jogável, mas o pacote não veio. O que aconteceu?

Felizmente, a empresa parece estar ficando mais esperta com Final Fantasy XIII-2. Square Enix já confirmou a pré-encomenda de armas exclusivas, que podem então vender vários meses após a liberação fazendo dinheiro extra. Mais tarde, ela pode oferecer pacotes DLC para "Personagens tolerável" e "Menos Diálogo embaraçoso". Isto é 2011. Cada jogador no planeta tem uma conexão com a Internet. E muitos dos gamers têm acesso a cartões de crédito de seus pais. Vender DLC para Final Fantasy é tão fácil como tirar doce de criança (e depois convencer o bebê para comprar o doce volta de você a um preço razoável).

Series Crossovers

Square Enix anunciou recentemente que vai vender um traje do Assassin's Creed para final Fantasy XIII-2. Isso é ótimo, porque se há alguma coisa que Final Fantasy, é mais roupas. Mas por que parar aí? Final Fantasy é o cenário perfeito para todos os tipos de idéias de marketing integrado. Harry Potter-themed magias. Aparições de personagens de Street Fighter. KFC-exclusiva carne de chocobo.

Lembre-se, a maneira de fazer dinheiro sério é pensar fora do pacote. Mesmo que isso signifique liberar presentes de Dilbert em Final Fantasy XV.


Micro-Transações

Fãs do querido Tríade Triple, o jogo de cartão incluído no Final Fantasy VIII que era tão viciante que poderia ter sido empacotado como seu próprio jogo. Então, porque não empacotá-lo como seu próprio jogo? Nós estamos em uma recessão aqui. Os desenvolvedores não podem se dar ao luxo de trabalhar em nonsense como "mini-games" ou "sidequests" sem obter um moolah extra. Square Enix deve fazer um buck ou dois a cada vez que alguém quer jogar blitzball ou ir para uma corrida de chocobo ou usar a máquina de snowboard no pires de Ouro. Isso é apenas um bom negócio.

Gamers de hoje não querem ir em grandes 60 horas de aventuras recheada de coisas para ver e fazer. Eles querem pagar R$ 50/ano para obter chamados de insultos raciais no Xbox Live.

Para corrigir Final Fantasy , temos que tirar proveito disso. "Mas hey," você pode estar dizendo, "JRPGs como Dragon Quest IX e Tales of Vesperia. fizeram muito bem sem qualquer dessas correções. Muitos desenvolvedores ainda estão liberando grandes role-playing games com mecânica inovadora e histórias cativantes. Alguns dos melhores jogos de 2011 - como Radiant Historia e The Legend of Heroes: Trails in the Sky - foram encantadoras experiências tradicionais, sem qualquer DLC invasivos ou micro-transações".

Bem, com certeza. Mas seus desenvolvedores estão nadando em piscinas de dinheiro? Penso que não.

Por Jason Schreier do Joystick

...

Acho a matéria tendenciosa e não concordo com a maior parte. Entretanto, exageros à parte, Jason Schreier é o primeiro a colocar de forma clara uma preocupação que tem surgido:

Square-Enix parece finalmente ter despertado para as DLC's, mas será que despertou da forma correta?

Eu gostaria de DLC's que acrescentassem ao jogo efetivamente e não apenas mais roupas e armas.

Realmente existe este risco de que a série FF transforme-se em um caça-níqueis através destas nefastas DLC's.

Armas mais poderosas tradicionalmente eram encontradas em dungeons secretas, quebra-cabeças, lutas com bosses opcionais e eram um dos charmes da série.

Que graça tem pagar para ter???

...

Alguns fãs de Final Fantasy acham que não devemos expor críticas à franquia ou à empresa, por temor de que estejamos contribuindo para a diminuição das vendas e assim colocando em risco a continuidade da série.

Acredito que as críticas às falhas de XIV fizeram com que fosse praticamente refeito e agora os fãs ganharam um jogo melhor e com isto a SE poderá vender mais. As críticas à FFXIII fizeram nascer um FFXIII-2 melhor.

Críticas serão sempre saudáveis, desde que a empresa disponha-se a ouvir, aceitar e contribuir.

Ficar calado, batendo palmas para tudo o que a SE faz, isto sim é que contribui para enterrar a série.

4 comentários:

Anonymous disse...

Acho a matéria tendenciosa e não concordo com a maior parte.[2]

Me chamou atenção um trecho...
<span> </span>"Gamers de hoje não querem ir em grandes 60 horas de aventuras recheada de coisas para ver e fazer. Eles querem pagar R$ 50/ano para obter chamados de insultos raciais no Xbox Live."

É triste ver que as empresas estão optando pela maquina de dinhero online, tornando raros bons RPGs hoje em dia... Quanto aos gamers que não apreciam jogos online, ou muda o gosto ou para de jogar... simples.
A Bethesda provou o contrário dando continuidade a franquia Elder Scrolls com Skyrim, mas mesmo eles tbm anunciam a mudança com foco em mmo.

Quanto as DLC's não ligo muito... desde que não interfiram diretamente no jogo... Se alguem quiser gastar dinheiro com armas e outras coisas e problema de cada um... Não é muito diferente de trapacear em um jogo.
Bom é DLC's que acrescentam missões ao jogo... mapas diferentes.

A Square se utilizando de DLC's não duvido nada que eles coloquem tudo que imaginar à venda no jogo... Basta acompanhar os jogos online dela para ver isso.

aitinerante disse...

Postei este texto lá no forum também (http://fantasydreamers.net) e meio que chegamos à conclusão de que hoje em dia a empresa que for purista não sobreviverá. O mundo é dos espertos. Se existem pessoas que querem gastar dinheiro em DLC's, ok. Porque a Square-Enix não pode vender para elas e ganhar seu dinheirinho? O que nos deixaria putos seria ela vender armas, itens, etc... realmente importantes. Agora uma roupinha, um óculos de sol para os bichinhos, rsrs, deixa prá lá.

Vamos torcer para que a SE continue nesta linha e só vender tranqueiras ou DLC's como as que você disse: que realmente acrescentem mais ao jogo. 

Lucas Vinícius disse...

A Rockstar, empresa q faz GTA*, vende DLCs de uma maneira bem legal ao meu ver. Os DLCs dela são quase sempre "jogos completos" q vc compra e joga por horas e horas, e o mais legal de tudo é q não precisa do jogo original pra jogar! [por exemplo, o DLC "Ballad of Gay Tony" vc pode jogar sem precisar do GTA-4], outro exemplo são os DLCs de Mass Effect, não me lembro se precisam ou não do jogo pra funcionar, mas eles adicionam coisas à história de uma maneira q apesar de não precisar deles pra entender, pessoal fica se coçando e compra :p. Se a Square fizer algo desse tipo eu vou gostar.

E acho também q a Square podia inventar um modo online pra série, quer dizer, nao tranformá-la num MMO mas dar um jeito para que podemos jogar com outras pessoas e não sozinho. Fio pensando, um DLC em q vc pode jogar vc+um amigo [popularmente chamado de co-op]? Acho uma boa opção, hj em dia um jogo q não tem modo online "não ganha muito dinheiro" [pelo menos não como um CoD da vida].

aitinerante disse...

Concordo com tudo que falou, inclusive a parte online, como é WKC e foi Red Dead Redemption e vários outros. Seria admirável jogarmos de uma forma menos solitária. :D

Posts relacionados: