segunda-feira, 9 de abril de 2012

FFXIII-2: um novo (e ótimo) estilo de Final Fantasy


Olá a todos.

Após uma enorme conspiração do universo que incluiu consoles e controles quebrados, cópias genéricas que não funcionavam e original preso por muuuuiiiitoooo tempo na receita federal, consegui enfim jogar Final Fantasy XIII-2.

Nestas últimas duas semanas é o que tenho feito, estando já com 90 horas de jogo. Cheguei à porta dos últimos bosses bem antes, mas... amarelei, confesso. Não queria ver aquele final. Voltei e fiquei enrolando. Peguei todos os fragmentos que são possíveis de serem pegos antes do final. Aliás, todos menos um, o do cassino. (Aquela máquina rouba e é descaradamente mesmo. Prestem atenção: assim que aciona a alavanca para começar a rodar, se você for ganhar algo, tem uma musiquinha ou som diferente na sequência. O que quer dizer que tanto faz quando parar ou não, já está decidido antes. Minha vingança está preparada e vou executar hoje a noite: entro, jogo e se ver que não ganhei, reseto sem salvar. lol - Aliás, para quem não sabe, as chances no modo automático são menores do que no modo manual. Palavra do Guia Oficial do jogo.).

Voltando ao assunto, coletei 150 dos 160 fragmentos, nisto incluso 3 paradox endings. Faltavam além do cassino, o fragmento do True final, os dos outros finais e o do bestiário, óbvio. Matei os 4 invencíveis: Immortal, Ochu, Yomi e Long Gui. Vergonha alheia! Derrotei todos no mesmo dia, sem qualquer estratégia, de primeira. Tá certo que não tive 5 estrelas em todos e até dei uma suadinha em alguns, mas... Podiam ser um tiquinho mais difíceis, não é?

Finalmente, com level 99, Noel equipado com a Odinblade (+134 de strengh e magia) e auxiliada por um Chocobo Dourado como Commander, uma Cloudburst como Ravager, um Chocobo Verde como Medic, um Goblin Chieftain como SEN (não lembro quais 3 dos 4 utilizei), não tive como enrolar mais e resolvi encarar.

(Não se fiem nos meus monstros. Joguei sem guias, fiz um monte de besteiras e meus monstrinhos não são exatamente os recomendados, apesar de que estou hiper satisfeita com eles. Infundi a COM com tudo que pude, acabando por ficar uma fera, a RAV tem um bost que buffa todo mundo e recarrega rapidinho, da mesma forma que o Goblin Chieftain. Em um jogo sem Haste - como é que pode???? É o fim dos tempos isto!!! - A MED é tão ruim quanto todas as outras MEDs do jogo, acho. rsrs)

Com este level e equips, as lutas foram desprezíveis. A estória é que importou mesmo. Apesar de já ter visto, ainda fiquei emocionada. Square-Enix sabe como fazer estas cenas. De verdade! Aliás, em todos os finais, vendo a rolagem dos créditos fico comovida. Quanta gente para fazer um jogo, benza Deus! Dá vontade de só elogiar. Mas, neste ao menos fiz minha parte: joguei um original. O primeiro Final Fantasy original que joguei. lol

No conjunto, adorei Final Fantasy XIII-2. É gostoso e viciante. A estória consegue parecer crível no contexto, Serah e Noel são bastante convincentes, tudo acaba funcionando.

A música é sensacional em todos os momentos. Crazy Chocobo é deliciosa, Charice, ah, todas! E aquele barulhinho que faz quando se fly? Viciada... lol

Bom... Eu tinha publicado um outro texto à partir daqui, mas estou editando porque conforme fui escrevendo e pensando, fui percebendo que estava comparando FF XIII-2 a outros Finais Fantasys. E nesta comparação XIII-2 é ruim em praticamente todos os aspectos:

- A jogabilidade é pior do que a dos outros jogos. Incentiva o auto-battle. As magias são fracas. Não tem silence, não tem haste, não tem Death (ao menos não encontrei). Os MEDs são ruins demais. Não tem nada na jogabilidade de XIII-2 que seja melhor do que a de outros FFs.

- A estória é um imbróglio só, uma coisa meio sem pé e sem cabeça (e alíás, sem fim até o momento). Depois fiquei pensando e tem um monte de pontas soltas que não consegui amarrar. Caius culpa a equipe pela mudança no futuro e as mortes de Yule. Oras, mas mudanças no futuro e mortes de Yule não ocorreram desde sempre? Desde que o mundo é mundo não é assim??? A própria Yule, em todas suas versões apoia a caminhada de Serah o tempo todo. Só no último momento ela muda de direção e pede que eles não prossigam. Porque? Se era vidente o tempo todo, não percebeu as intenções de Caius desde o início? E a morte de Caius por Noel mata a deusa? Não transferia seu coração para o próximo guardião? Estes são alguns exemplos. Algumas coisas são ridículas ou esdrúxulas, como o papel de Snow no jogo. Flans gigantes??? lol

- A party é a mais pobre de todos os FFs até o momento. Mesmo com a adição dos monstros. Não dá para ter os 5 paradigmas cheios, etc... No XIII podíamos escolher o melhor MED,COM,RAV,SEN,SAB entre 5. Aqui são entre 2. A limitação de usar apenas 3 monstros de cada vez, impede que tenhamos o melhor de cada um dos 5 roles.

- Os bosses opcionais, como disse acima, são fracos e à anos luz de distância dos grandes e memoráveis bosses de outros FFs.

- Os mapas são aquilo que já foi dito demais: corredores. E pior, corredores que você tem que percorrer infinitas vezes, porque muda o clima, o matinho é mais alto ou menos alto, mas os mapas são os mesmos nas diversas épocas. Assim, você enjoa muito rápido de cada lugar. Os menos sensíveis talvez aguentem até a 10a. vez, mas mesmos estes acabarão por enjoar.

- Armas e Acessórios: ridículos. Primeiro aquele limite de 100 de peso para cada personagem. Mais ridículo ainda é esta tendência da SE em armas e acessórios que melhoram algo e pioram outro. Aff... Quero saber que a cada fase vou ganhar um equipamento ou acessório melhor e não que vou melhorar isto e piorar aquilo. Ah!!! Que ódio!!! Se quiser me frustar fico na vida real, não preciso de um game, oras bolas.

- Dificuldade: pífia! Quase todas minhas lutas eram com 5 estrelas, do início ao fim. Verdade que sempre surgiam os monstros muito acima de meu lvl que não conseguia derrotar, mas os de mesmo lvl??? Fáceis demais. Não utilizei (e nem sei como faz para utilizar) em nenhum momento a opção Easy.

- Longevidade: resultado da dificuldade mínima é isto. Eu que sou lerda, lenta e que sempre levo 300 horas para chegar a um final em Final Fantasys, neste acho que consigo PLATINAR com folga em menos de 150 horas. E isto porque sou lenta. Povo está platinando com muito menos.


- Shops? Cidades? Airships? Pessoas? Summons????

Se for para comparar com outros Finais Fantasys, melhor nem jogar. Decepção garantida.

Entretanto, XIII-2 é gostoso, divertido e viciante.

- Os monstros são legais, embora upá-los seja um horror e montar um que preste idem.

- Os quebra-cabeças até que são divertidos, mas né, duvido que alguém resolveu todos sem uma ajudazinha da net. Especialmente aqueles relógios de 13 números. (Este é ótimo: http://nyusuke.com/game/ff13/ff13-2puzzle.html). Mas duas fases de Oerba SÓ com quebra-cabeças foram meio exagerados!

- Gostei do quebra-cabeças que é o mapa final. Achei diferente e original.

- As quests estão melhores do que em XIII. São diferentes, encaixadas dentro do contexto do jogo, etc... Só achei a quantidade um pouco excessiva, mas vá lá...

- Tem algo que amei neste FF: a quase que total falta de cavernas. Odeio cavernas!!! Principalmente cavernas com labirintos! Sinto até claustrofobia. Gosto de ar livre. Neste sentido gostei muito de XIII-2.

- Hahaha... Ia esquecendo do melhor das peoples: os gays de Yaschas Massif. Loiros, cabelos compridos em rabo de cavalo alto e uma roupa... gay demais!!! Brilhantes!!! Sensacionais!!! Mesmo que mudos e calados. lol

Joguei adorando durante a maior parte do tempo, envolvida no enredo e agora que acabou, ansiosa pela continuação.

Como um game pode ser tão falho e ainda assim tão divertido? Milagre? Mágica?

Fiquei pensando depois de postar e talvez a grandeza de XIII-2 seja feita justamente de suas falhas, porque tornam-o extremamente leve, com um rítmo gostoso, que flui naturalmente. Fosse XIII-2 mais complexo, mais difícil e talvez o encanto não aconteceria. E as falhas se tornariam muito mais evidentes e graves.

Quando não se esbarra com obstáculos intransponíveis, quando a jogabilidade é fácil, intuitiva e todos os sons e imagens são envolventes, bonitos, você simplesmente segue o fluxo, deixa-se levar e vai, vai, vai, sem perceber, praticamente.

É como uma música suave, tranquila, harmônica, que embala e faz dançar sem que se perceba. É diferente de um rock metal pauleira ou um clássico pesado do tipo Brahms, que exigem esforço mental e até corporal para acompanhar.

Ou, fazendo analogia com os livros, não é um Shakespeare, um Dostoiévski ou um Saramago. É uma literatura moderna, do estilo de O Ladrão de Raios e outros. Está em afinidade com a busca atual pela superficialidade bonita e gostosa em contraste com a profundidade muito mais bela, porém quase sempre difícil e indigesta.

Aliás, dois anos atrás, comparei XIII ao filme Avatar, já naquela época a Square Enix começava a trilhar este caminho, que em XIII-2 aprofundou e aperfeiçoou, em uma tendência que talvez seja irreversível.

E, assim como podemos apreciar ambos os tipos de música e de literatura, também não podemos apreciar diferentes estilos de Finais Fantasys? Quem hoje gosta de ler os clássicos? Ou ouvir música difícil? Poucos, muito poucos.

Vendo Final Fantasy dentro de um outro estilo e não do estilo com o qual estávamos acostumados e que, mesmo que inconscientemente, esperamos encontrar em um novo jogo, não comparando "alhos com bugalhos" e sim, analisando-o separadamente, talvez ele não tenha realmente falhas e apenas acertos menores dentro de vários grandes acertos.

Então, se você está procurando um novo clássico, como Final Fantasy VII ou X, melhor esperar pelos remakes. Quem sabe ... algum dia ... talvez ...

Agora, se você tem olhos para um novo estilo, sirva-se à vontade, use, abuse e lambuze-se de toda a fartura de diversão de XIII-2!

...

Senti vontade de postar muita coisa enquanto estava jogando e ao mesmo tempo, foi bem gostoso jogar sem este encargo, que às vezes era um peso. Também foi gostoso jogar praticamente sem guias enquanto consegui, fazer toneladas de coisas erradas sem culpa. :D

Não estou mais jogando WoW (isto conto algum dia em outro post) e pretendo jogar mais um pouco do Final Fantasy XIII-2. Platinar, conseguir todos os monstros. Upá-los, etc...

Ainda estou dividida entre blogar ou não. De um lado tenho vontade de continuar a tradução da estória para tentar preencher as lacunas que ficaram e também postar trocentas dicas que fui recolhendo enquanto jogava e de outro, como sempre, um certo bloqueio.

Vou me deixando levar, por enquanto, tranquila, sabendo que Alexandre está aqui, trazendo as news para vocês.

Saudades de vocês!

:D

0 comentários:

Posts relacionados: