Pular para o conteúdo principal

Eu joguei 10 minutos de Ni no Kuni e fiquei querendo mais

Não é muito diferente de ler um romance de Haruki Murakami ou assistir a um filme de Hayao Miyazaki. Jogar Ni no Kuni é quase como entrar em um sonho.

O que faz sentido, porque Ni no Kuni se passa, na maior parte do tempo, em um mundo de sonhos. É um lugar fascinante conjurado pela equipe do estúdio Ghibli, a empresa de animação por trás de longas como Meu Amigo Totoro e A Viagem de Chihiro.

Apesar de não ter conseguido jogar muito desse RPG de PlayStation 3 durante a E3, passei cerca de dez minutos dentro de Hamelin, uma cidade infestada de porcos.

Trata-se de um lugar magnífico, uma cidade com prédios gigantes e cheia de vida. Mas também é perigoso – do que eu pude ver na demo, o protagonista Oliver e seu grupo estavam tentando entrar no palácio local sem serem pegos pelos inúmeros guardas suínos de lá.

Se você jogou algum dos outros jogos do estúdio Level-5, como Dragon Quest VIII, você provavelmente sabe que eles têm uma veia piadista recorrente. Essas piadas são às vezes bacanas, às vezes, irritantes. E aparecem com força total em Ni no Kuni.

Dentre alguns exemplos estão um porco lutador chamado “Boarrior” (um cruzamento de “boar”, javali, com “warrior”, guerreiro) e um ataque de água chamado “Splish Splash”.




Os personagens também falam com as tradicionais esquisitices comuns em jogos da empresa. Há sotaques e dialetos estranhos espalhados em cada balão de conversa. Um homem-gato, por exemplo, pode substituir seus “pers” por “purrs”, criando pérolas como “purrfection” ou “purrety” (em vez de “perfection” e “pretty”, como se estivesse imitando o som de um gato de verdade). Sinta-se à vontade para torcer o nariz para isso.

Ainda assim, eu estou bem empolgado para jogar esse RPG. O combate é uma espécie de mistura entre Dragon Quest e Pokémon. Há o sistema tradicional de batalhas em turnos, completo com feitiços e fraquezas elementais, e há os monstros aliados: cada personagem tem dois parceiros que podem ser chamados para ajudar no meio das batalhas.

Depois que Oliver e sua equipe (uma garota chama Esther e um homem mais velho, Swaine) exploram a cidade por algum tempo, eles encontram uma procissão de guardas-porcos que parecem estar escoltando um príncipe. Isso eventualmente leva a uma batalha contra um chefe-máquina que é fraco contra ataques de vento. E, para a minha sorte, existem muitos ataques de vento à disposição.

A demo acabou assim que derrubei o chefe, e eu já queria jogar mais. Infelizmente vamos todos ter que esperar até 22 de janeiro de 2013 (ou seja: eternamente) para colocar as mãos no jogo, exclusivo de PlayStation 3.

Para resumir: Dragon Quest + Pokémon + Studio Ghbili = Ni no Kuni. Fórmula interessante, não?


Fonte


Opinião: Quero muito jogar, pena que vou ter que esperar até Janeiro de 2013. 

Comentários

Posts relacionados:

Postagens mais visitadas deste blog

(FF XII) TÁ TUDO AQUI! (detonados, história, summons, mapas, dicas, gil, rare itens, farms) Só clicar.

           Responsável: Neiva  - Posts:  Neiva , André  - Colaboração:  Emanuel Traduções: Bruno , Jackson ,  Mário , Thiago , Bruno B. LEIA ISTO PRIMEIRO  SOBRE FFXII Itens perdíveis e dungeons não retornáveis História completa em português   O filme completo em inglês TRADUÇÃO EM PORTUGUÊS BR O mundo de Ivalice Raças MONTANDO A EQUIPE Personagens Como combinar classes Simulador de combos de classes SISTEMA DE COMBATE Equipe Killer Neiva   Sobre o sistema de combate e Gambits Equipe Killer André Todos os Gambits Todas as magias e técnicas MEU JOGO (NEIVA) Buffs e Debuffs Primeiras impressões Atributos Introdução Zodiac System e seu sistema de classes A Cidade Real de Rabanastre Drops raros com chains e monographs O Portão Leste Downtown EQUIPÁVEIS O Palácio R

FF XIV - Raças, Classes e Sistema de Combate

Por André Anastácio Olá Pessoal, Nessa segunda postagem sobre Final Fantasy XIV, quero introduzir alguns pontos chaves sobre a jogabilidade do jogo e seu sistema de classes. Se você ainda não conhece o universo de Final Fantasy XIV, recomendo ler minha primeira postagem sobre o jogo  clicando aqui. Classes O jogo possui um sistema de classes e Jobs que funcionam da seguinte forma: Você seleciona uma classe inicial e, ao chegar ao level 30, faz uma quest especial para desbloquear o Job que funciona como uma forma avançada daquela classe inicial. O jogo possui, hoje, um total de 18 Jobs, sendo 11 do jogo base, 3 da expansão Heavensward, 2 da Stormblood e 2 da mais recente Shadowbringers. Estas classes estão divididas entre Disciples of War (Jobs focados em atributos físicos) e Disciples of Magic (Jobs focados na utilização de magia). É importante saber esta divisão pois muitas vezes o jogo divide quem pode usar determinado equipamento através dela. E gente, eu esto

(FF XII) Hunts (caçadas)

Por André Anastácio  A sidequest mais conhecida de Final fantasy XII com certeza é a caça aos 45 marks do jogo. Marks são monstros poderosos, que precisam ser eliminados para, de alguma forma, alguma pessoa ser beneficiada com isso.  Agora é hora demostrar como detonar essas missões paralelas. Verificando o quadro que fica nos bares das cidades (Rabanastre, Bhujerba, Baifonheim), você pode aceitar pedidos para caçar Marks. Eles vão aparecendo conforme seu Rank de caçador subir, e ele sobe conforme você mata mais Marks e inimigos. Aceitando um pedido, você deve ir falar com o cliente antes de sair para matar o monstro. Quando falar com a pessoa em questão, a mensagem "The Hunt Begins" aparece na tela, e aí é só ir caçar o bicho. E lembre-se de retornar ao cliente quando acabar a missão para pegar sua recompensa. P.S.: É altamente recomendável sempre dar steal (para roubar itens) nos monstros de caçadas pois alguns deles oferecem itens EXCELENTES e que você p