terça-feira, 11 de setembro de 2012

Final Fantasy VII: Adeus Aeris


Eu sabia a cena da morte da Aeris seria triste, mas nossa! é mais triste ainda. É daquelas tristezas que doem mais por causa da raiva, da impotência por não impedir, da injustiça que é cometida, das coisas que não são ditas, do amor que não se realiza. Não é daquelas tristezas que você fica sem forças e chora, é daquelas que dá vontade de reagir, de chutar, de fazer algo.

Acho que cada um sentiu a seu modo. Eu senti assim, como um ato que me violentou e agrediu. Uma pancada, seca e dura.

Lembro dos momentos que me marcaram nos Finais Fantays: a despedida dos summons ou o desaparecimento do Tidus no X e o destino de Fang e Vanille no XIII. Apesar de tristes, eram situações compreensíveis e de certa forma inevitáveis. Agora, Aeris... É tão covarde e brutal!

É muito triste que eles não tenham tido tempo de falar um com o outro. E nem de viverem um momento realmente especial, como a Yuna teve com o Tidus na lagoa, por exemplo. A Aeris merecia algo assim. Que vida triste, Deus! Primeiro a infância, perdendo os pais prematuramente. Depois perdendo seu primeiro amor, Zach, também antes que se realizasse e agora, Cloud...

Realmente merece constar como um dos momentos mais marcantes da história dos video-games. Infelizmente.


0 comentários:

Posts relacionados: