WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

domingo, 27 de janeiro de 2013

Ni no Kuni: suavidade é teu nome

 
 
Continuo em Ni no Kuni com um leve estranhamento. Depois de vários jogos com rítmo intenso e acelerado tenho que acostumar com o ritmo suave deste. FF XIII já começava com aquela batalha doida e XIII-2 com a luta de Lightning e Kaias, seguida pelas lutas de Noel e Serah. E os jogos atuais, em sua maioria, tem aderido ao ritmo cada vez mais rápido. Sai de uma luta ou crise e já está entrando em outra. Aqui parece que temos todo o tempo do mundo. rs
 
Por toda a introdução não há lutas. São várias cgs rolando e você participa apenas indo de um lugar ao outro e pegando um ou outro objeto para dar sequência às cenas. Resolvi relaxar e entrar no clima, aproveitando a maravilhosa trilha sonora, sem pressa alguma.
 
Fiquei pensando em como narrar o jogo sem contar a estória e não é possível. Infelizmente o blogger não oferece recurso de esconder parte do texto e não posso deixar de escrever o que desejo. Recomendo à quem não queira spoilers que não acompanhe minha narração. Sinto muito.
 
Capítulo I - The Rolling Hills
 
 
Chegamos ao outro mundo neste cenário verde delicioso. Infelizmente à pé e não neste dragão (será que demora muito para ganhar? rs). Dá para colher umas plantinhas nas redondezas e é bom para dar uma upadinha básica também. A comida que os mobs soltam pode ser importante mais para a frente. Use com moderação. Também existem baús de tesouro escondidos. Nada de equips por enquanto. Apenas comida, mas se está pensando em platinar é melhor vasculhar toda a área com cuidado.
 
Seguimos em direção à cidade, Ding Dong Dell, mas o guarda do portão parecia sonolento e ninguém conseguia entrar. Drippy acha que ele está com o coração quebrado (faltando uma parte) e sugere procurarmos o Velho Pai Carvalho em uma caverna ao norte. É esta árvore imensa:
 
 
Ele esqueceu o que deve ser feito para concertar o coração do guarda. Enquanto se recorda, pede-nos uma ajuda com o Guardião da Floresta, que parece ter se tornado meio indisciplinado ultimamente.
 
Drippy é engraçado. Nervosinho, agitado, bastante stressado. lol Ele fica irritado em perder mais tempo no local, mas não há nada a fazer. Entramos floresta adentro em busca do rebelde:
 
 
 
O Guardião da Floresta é o primeiro boss do jogo. Quando comecei, não vasculhei o entorno e havia feito pouquíssimas lutas. Apanhei feio feio. lol Morri e para reviver iria perder todo o dinheiro. Recomecei do outro save, voltei, percorri todo o cenário, upei alguns leveis e só depois resolvi encarar a luta. Ele não é difícil, difícil. O segredo é defender quando ele joga o especial, mas como estava desacostumada com o sistema de batalha, demorei um tico para derrotar. Depois que peguei o jeito foi fácil. Seu especial tira uns 30 de hp e dependendo de seu level é KO. Defendendo, perderá 4 a 5 de hp.
 
Depois de derrotado, voltamos ao Velho Carvalho e ele nos ensina a consertar os corações e finalmente entramos na cidade.
 
Este gameplay tem toda a introdução e o primeiro capítulo, com uma qualidade ótima: 
 


0 comentários:

Posts relacionados: