WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Sony explica o porquê do Playstation 4 não ter sido revelado em evento


Em entrevista ao The Guardian, Shuhei Yoshida, líder da divisão Sony Worldwide Studios, revelou diversas curiosidades interessantes sobre o futuro da marca Playstation e o que é esperado com a chegada do novíssimo Playstation 4. Yoshida atua na Sony desde as pesquisas para a criação do primeiro Playstation e permaneceu na Sony até hoje.


Para criar o design do Playstation 4, a Sony adotou uma abordagem similar ao que foi realizado na época do primeiro Playstation, que foi criar o hardware em conjunto com as desenvolvedoras de jogos. Kaz Hirai, presidente da Sony Corporation, definiu essa diretriz como sendo uma das principais premissas na hora de definir o conceito do futuro console - que os estúdios de desenvolvimento fizessem atuassem em conjunto com o time de hardware e plataforma - algo que também foi aplicado com a criação do Playstation Vita. A SCEI também trouxe Mark Cerny, parceiro de longa data da empresa, como o arquiteto do Playstation 4.

Segundo a Sony, os pedidos mais comuns dos estúdios tratavam de conectividade com as mídias sociais e uma arquitetura mais fácil de trabalhar - leia-se, arquitetura próxima da de PCs. Yoshida comenta que o desenvolvimento do Playstation 3 foi duro pelo fato da arquitetura ser algo único, mas que com o Playstation 4, o foco era permitir aos estúdios continuarem usando suas ferramentas atuais, e facilitar a transição para o console. Uma maior quantidade de memória também foi algo bastante requisitado, pois os consoles da Sony tem um histórico triste com relação a esse item.

Conectividade foi um tema importante, e foi algo que tanto a Sony, quanto os estúdios, desejam fazer nessa geração: pensar em como utilizar as diferentes plataformas e redes sociais e integrá-las aos consoles. O jogador quer baixar apenas uma única aplicação, que possua integração com os diferentes dispositivos, como um tablet ou smartphone. A Sony vai deixar tudo preparado do lado dela, enquanto caberá aos estúdios estudarem o que vão disponibilizar aos jogadores em termos de conectividade.

O chefão da divisão de games da Sony, Shuhei Yoshida. 

A Sony também se preocupa em atrair estúdios menores (indies), de forma a tornar a plataforma um berço para idéias criativas e diversas. Para conseguir isso, está se investindo muito no mercado digital, de forma que todos os títulos da Playstation 4 estejam disponíveis digitalmente para compra e distribuição. Um exemplo disso é o jogo The Witness, exclusivo temporariamente para a plataforma.

Com relação aos serviços online, o objetivo da Sony é oferecer serviços pagos periodicamente, como assinaturas mensais. E é por essa razão que o que já foi adquirido pela Playstation Network não valerá para o novo serviço - o jogador pagara uma quantia mensal para ter acesso à toda biblioteca de títulos disponível digitalmente, como um Netflix, sendo que isso se tornou possível com a compra da Gaikai, mas nada oficialmente confirmado até o presente momento.

Com relação aos títulos de lançamento, a Sony e seus estúdios estão trabalhando em jogos que se preocupem em demonstrar o diferencial que o hardware oferece, mas com relação às third parties, não é possível controlar o que eles vão fazer ou oferecer, mas é esperado que o lineup de lançamento seja excelente tanto em quantidade, quanto em qualidade. Yoshida comenta também que os desenvolvedores buscam simplicidade e imediatismo, no sentido de que a empresa busca eliminar o tempo gasto com atualizações e download de conteúdo, e fazer com que o jogador passe mais tempo jogando.

Com relação àqueles que pregam o fim dos consoles, Yoshida comenta que as empresas precisam mostra algo único e fantástico para justificar a compra de novos dispositivos. Yoshida cita - "Por quê um jogador se preocuparia em comprar um Playstation4 se a experiência com ele não é superior ao seu tablet?" Então é de responsabilidade da empresa oferecer algo que permite ao jogador ter boas experiências, e que seja fácil de compartilhá-las com outros.

A Sony foi bastante criticada por não exibir o console durante a Playstation Meeting. Yoshida revela que o design final do hardware não está pronto, e que mesmo que estivessem, não revelariam tudo de uma vez, para ter o que mostrar depois. O foco do evento foi falar sobre os princípios por trás do Playstation 4 e mostrar alguns jogos. Com isso, é possível concluir que muitas coisas serão reveladas, ou mesmo confirmadas, apenas com a chegada da E3. Porém, Yoshida entende que isso causou stress a muitos curiosos, mas que o importante para a equipe é entender como os jogos funcionarão, e oferecer jogos da melhor qualidade.

Por fim, Yoshida comenta outras curiosidades e que gostaria de jogar títulos de Playsation 4 em todos os dispositivos que ele tem, com experiência central focada na tela grande, tudo será conectado. Será?

Fonte

0 comentários:

Posts relacionados: