WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

quarta-feira, 27 de março de 2013

Sony começou a desenvolver o PlayStation 4 em 2008



A Sony  começou a desenvolver o PlayStation 4 em 2008, dois anos após o lançamento  do PlayStation 3. Estão surpreendidos? Não deviam. Criar uma nova consola é um processo complexo e uma aposta para o futuro, tudo deve ser planeado minuciosamente e não deixar nada ao acaso.

Foi Mark Cerny, o arquiteto da novo console, o primeiro a começar a pensar sobre o que deveria ser incluído dentro da PlayStation 4, revelou o Gamasutra. Então, em 2007, começou a ler, no seu tempo livre, documentos sobre o processador x86, que foi o escolhido para a PlayStation 4.

Tendo já pensado sobre o assunto, Mark Cerny propôs aos seus superiores que lhe dessem as rédeas do projeto da nova consola. Para sua surpresa, foi-lhe concedido o que tinha pedido.

Depois de estar encarregue do projeto, Cerny começou, em 2008, a questionar os produtores subtilmente, sem mencionar que a Sony estava já  trabalhando no PlayStation 4, sobre o que desejavam, teoricamente, num console de próxima geração. A resposta foi clara: memória unificada.

A Sony tornou o desejo dos produtores realidade, dando-lhes 8GB de memória RAM GDDR 5, à qual o processador e placa gráfica da consola têm acesso. Até agora, os produtores mostraram-se contentes com esta decisão.

Também ficou decidido que o PlayStation 4 teria um processador com oito núcleos. A outra hipótese era quatro núcleos. Incluir mais que oito núcleos foi logo posto de parte, pois chegou-se à conclusão de que seriam precisas técnicas especiais para aproveitar o poder de um processador com esta arquitetura, e a Sony não queria enfrentar os mesmos desafios que enfrentou com a PlayStation 3, que embora tivesse um processador muito poderoso para 2006, era muito complexo de trabalhar.

Esta filosofia da Sony de centrar-se no que os produtores querem não começou com o PlayStation 4, mas antes com a PlayStation Vita, de acordo com Cerny.

A PlayStation 4 só tem recebido elogios até agora, no entanto, a Microsoft ainda não revelou a sua arma para combater o novo console da Sony na próxima geração.

Fonte

0 comentários:

Posts relacionados: