WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

sexta-feira, 12 de abril de 2013

Cliff Bleszinski argumenta que a ligação constante à Internet é o futuro


Defende Adam Orth e mostra-se descontente com a comunidade online.


Cliff Bleszinski defendeu na última entrada do seu blog a posição de Adam Orth, o diretor criativo dos Microsoft Studios saiu do seu cargo esta semana depois de ter feito comentários no Twitter que deixaram a comunidade de jogadores em fúria.

Orth defendeu a ligação constante à Internet, que nos dias que correm é vista com maus olhos devido a problemas que afetaram o lançamento de Sim City e Diablo III. Mas Cliff Bleszinski, o ex-designer de Gears of War, argumenta que este é um futuro que está muito próximo, e desde que "o ecossistema de um dispositivo sempre ligado seja fantástico", então as pessoas vão deixar de reparar nesse pormenor.

Apesar de todos os problemas que afetaram jogos que requerem uma ligação constante à Internet, Bleszinski está convicto de que "sem os elementos que necessitam de uma ligação constante, Diablo 3 teria vendido metade do que vendeu" (estima-se que Diablo 3 tenha vendido cerca de 12 milhões de unidades).

Na perspetiva de Bleszinski "qualquer comprador inicial de qualquer tecnologia tem provavelmente alguma ligação sólida à Internet", diminuindo a dimensão do problema e ignorando aqueles que não têm uma ligação à Internet, afirmando que "a tecnologia não evolui ao preocupar-se com casos extremos".

Por fim, mostrou-se descontente "com uma comunidade online que se diverte com o facto de que podem ter potencialmente contribuído para o despedimento de alguém".

0 comentários:

Posts relacionados: