WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

(FF XV) Capítulo 2 - Parte 2: lotes e mais lotes de quests

Parte 2 - Norduscaen Blockade
Abra a imagem em uma nova guia para usar o zoom e ver maior.

Eu estou lotada de quests para fazer ou entregar e me ocupo com isto antes de fazer a única quest da história aqui, Declaration of War (Declaração de Guerra).

Esta parte foi meio estranha e confusa. Começo a ficar perdida, andando meio barata tonta. Começo a fazer uma coisa e no meio do caminho encontro outra. A sensação é de muito tempo para ficar fazendo estas quests, pegando aqui, entregando ali. E na estrada começam a surgir os magikets. Estou toda hora esbarrando neles quando uso o carro. Isto é meio chato (chato e meio para falar a verdade)

Volto ao Hammerhead nem lembro mais porque, acho que para entregar uma quest no restaurante e a Cindy me propõe sua primeira quest, que faço. Acho mais armas para o Cid, mas nunca tenho o item que ele precisa e assim já estou com 5 armas abertas, a espera de melhorias.

Eu tento limpar meu quadro de missões ao máximo, antes de começar o capítulo 3, mas algumas permanecem, como as das armas, uma da Cindy, uma do Takka e uma do Dave que estão no próximo mapa.

Penso que se não fossem estas quests, se apenas fosse seguindo a história, realmente seria muito rápido, porque são poucas quests da história até o momento. Ao mesmo tempo, fazendo um pouco de cada quest vou perdendo o elo com a história. É como se a história não fosse mesmo importante para o jogo, com as quests se tornando mais interessantes ou atrativas.

Sem muito mais opções, vou ao encontro de Monica e somos divididos em dois grupos. Entramos no lugar infestado de magiteks e segue-se luta após luta até a final com um gigante robô MAX-A.

A primeira coisa que nestas lutas é tentar anular os atiradores que estão em patamares superiores. Eles ficam dando um dano constante e sem eles a vida fica mais fácil. Quanto ao robozão, eu simplesmente vou atacando, tentando de tudo um pouco até a hora em que ele morre.

Ainda não tive que parar para pensar em alguma estratégia. Consegui passar por todos os monstros que encontrei até o momento usando a tática "vamos ver no que dá". lol

Ok... Bicho derrotado e eis me em Duscae, iniciando o cap. 3.

0 comentários:

Posts relacionados: