WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

segunda-feira, 10 de julho de 2017

FINAL FANTASY XII ZODIAC AGE - Fortaleza Nalbina - Parte 2 (tradução em Português em texto e vídeo legendado)



Forte de Nalbina – Posto Norte

Basch: Você aí. Pode me ouvir?

Vossler: É como eu temia. Eles estão nos atrasando.

Basch: Não diga isto.

Basch: Nem todos nós estamos aqui por amor à batalha. Ele luta para defender sua pátria.

Basch: (para Reks) seu nome?

Reks: Reks senhor! Meu nome é Reks.

Basch: Ótimo, Reks. Você sofreu alguns cortes, mas você ainda está inteiro. Bem, você pode se
levantar?

Basch: Acha que pode lutar?

Reks: Estou bem, senhor.

Basch: Quantos anos você tem, Reks?

Reks: Dezessete, senhor.

Basch: Jovem. Família?

Reks: Meu irmão é tudo que restou, senhor. Ele é dois anos mais jovem que eu. Vive em rabanastre.

Basch: Tão jovem. Você mal tem idade suficiente para ser um homem. Você não deve ser obrigado a empunhar uma espada.

Reks: Não, senhor. Eu quero lutar. Por minha pátria e por meus pais.

Vossler: Calma, basch! Guarde seu discurso para depois. Devemos chegar ao rei antes deles agirem! Ou todos os nossos esforços serão em vão.

Basch: Estou ciente da situação.

Guardas atacam

Basch: Vossler, continue! Eu cuido deles.

Vossler: Boa sorte!

Basch: Fique firme, Reks. Matenha sua cabeça erguida e você conseguirá.

Reks: Capitão.

Guarda (dentro da nave Tonberry): Antlion, aqui é Tonberry! Meu motor foi atingido. Ela não vai aguentar muito tempo!

Guardas (na nave Antlion): nós escutamos você, Tonberry. Você deve se retirar. Lutou bem.

Guarda (nave Tonberry): agradeço, Antlion! Tonberry se retirando!

Basch: Vossler. Onde está você?

Reks: E se o capitão Azelas morreu?

Basch: Não diga tal besteira! Vossler riu da cara da morte muitas vezes, e ele não vai parar agora. Homens como ele não morrem em lugares como este. Temos de nos apressar para chegar ao rei. Vamos levá-lo para um lugar seguro.

Reks: Sua majestade está ilesa?

Basch: Ele concordará com uma rendição incondicional. Eles não ousariam tocá-lo até que a cera do seu selo seque.

Reks: Mas se chegarmos depois que ele assinar o tratado...

Basch: Espere. Rápido Reks!

Guardas: Intrusos! Não deixem eles escaparem!

Reks: Senhor! Nós temos pouco tempo! Você deve ir até o rei! Eu vou cuidar destes!

Basch: Boa sorte.

...................................... Depois de derrotar os guardas com Reks............................

Reks: Sua majestade... Capitão, porquê? Nosso rei..... O que você fez?

Basch: O rei destinou-se ao longo de toda vida, vender Dalmasca ao império. Sua majestade era um traidor.

Reks: Capitão, eu...

Guardas entram...

Vayne Solidor entra.

Vayne: Bem, tanta coisa para as negociações pacíficas.

Basch: Nós nunca nos renderemos para vocês! Não somos gados a ser vendidos por um rei traidor!

Vayne: Mas a guerra acabou meu caro capitão. Você perdeu. Dalmasca é propriedade do império
agora. E pensar, que pretendíamos deixá-lo um pouco mais da sua soberania, por respeito. Mas agora você veio e arruinou tudo. Não foi capitão?

Basch: Nós nunca nos curvaremos à vocês!

Vayne: E o povo de Dalmasca odiará você por isto. Tirem o capitão daqui.

Pretextos de paz deixados de lado, as forças Archadianas retomaram seu avanço em direção à
Rabanastre. A condenação de Dalmaca tinha sido decidida. Criar uma resistência não serviria à propósito algum.

Com este pensamento em minha mente, eu disse ao povo de Dalmasca:

“Filhos e filhas de Dalmasca, eu peço-lhes, abaixem seus braços. Levante canções de oração em seu lugar. Orem por sua majestade, rei Raminas, sempre generoso. Um homem dedicado inteiramente a paz”.

“Orem também pela princesa Ashe, que, forjada com tristeza na derrota de seu reino, tirou sua própria vida”.

“Sei também que o capt. Basch fon Ronsenburg, por incitação de sedição e do assassinato do rei Raminas, foi considerado culpado de alta traição e condenado à morte”.

“Eles que a esta hora tardia escolheram a espada são cortados ao mesmo pano que o capitão: traidores que levaram Dalmasca para sua ruína”.

A rendição de Dalmasca sem termos foi logo em seguida.

Memórias de Halim Ondore IV.




Venha jogar conosco!

  


0 comentários:

Posts relacionados: