WhatsApp

 Grupo da Itinerante no WhatsApp

Amigos, este blog está em pausa, se momentânea ou eternamente não sei ainda. Vai depender de aparecer um game que me instigue a fazer novas postagens.

Mas eu e meus amigos continuamos na ativa, conversando muito sobre games e nerdices em nosso grupo no WhatsApp.

Este post é só para convidá-los a se juntar a nós. Para falar dos Finais Fantasys, Zelda, Pokemon, Dragon Quest, Persona ou de qualquer outro game ou tema que queira. Sempre tem alguém que joga, já jogou ou quer jogar. rs

Agora que praticamente todos já terminaram o Final Fantasy XV nós estamos comentando livremente a história, mas se alguém que ainda não finalizou entrar é só pedir que interrompemos os spoilers.

Então, caso queira se juntar a nós, basta clicar na imagem.

terça-feira, 18 de julho de 2017

Final Fantasy XII Zodiac Age PS4 HD - MASMORRAS DE NALBINA (Parte 7) Legendado em Português


Vaan: Trouxe pra você aquelas flores que gostava: Lírios Galbana. Lembra? Sempre disse que elas cheiravam bem, e o quão lindas elas eram. Lembra? O Rei... Foi você? Foi realmente parte disso? Mesmo se... Mesmo se você tivesse... Captão Basch deve ter te confundido para tal

Balthier: Está acordado!

Vaan: Onde estamos?

Balthier: Prisão, onde mais? Tá mais para um calabouço,mas na realidade dá tudo na mesma. Relaxa! É só um corpo. Se for pular por qualquer coisinha no chão vai acabar se desgastando. Não é nem mesmo uma masmorra adequada. Só selaram o nível mais baixo da fortaleza. Dê uma olhada ao redor. Não fomos os primeiros à serem jogados aqui embaixo.

Vaan: Onde está a Fran?

Balthier: Está lá fora tentando encontrar uma saída para nós. Lembre-se que a curiosidade matou o gato. Só um pequeno conselho de amigo. Essa é toda a água que temos. Pouparia energia se fosse você.

MASMORRAS DE NALBINA

Prisioneiro#1: Me salve...

Vaan: Não!!! Não faça... Ele estava indefeso!

Balthier: Algo não cheira bem aqui, certo? Mudei de ideia, isso não é uma masmorra, é um chiqueiro! Eu disse que são você que fedem aqui, seus porcos, me ouviram agora? Está bem Vaan? Ótimo eles simplesmente não desistem, não é mesmo? Esse me parece uma boa hora para partirmos.

Fran: Através da masmorra, há um jeito de sair. Só que...

Balthier: Só que você sentiu o mist. Então precisaremos de armas.

Guarda#1: Do que me chamou? Diga de novo...

Ba’Gamnam: O que, não conseguiu ouvir? Simplesmente disse que muitos de vocês são idiotas incompetentes. Se tinham o pirata dos céus nas mãos, onde ele está agora?

Guarda#1: Teria feito melhor, Ba'Gamnam? Como você disse, foi o exército imperial quem capturou esse seu pirata dos céus. Fizemos o seu trabalho para você. Não precisamos da ajuda de caçadores  de recompensa sujos. O Império restaurará a ordem aqui.

Ba’Gamnam: Eh? Que foi isso que disse agora? Talvez eu finque minha espada em você antes de matar Balthier.

Gabranth: Já chega, Ba'Gamnan.

Fran: Um Juíz.

Vaan: Juíz?

Balthier: Hmph. Os auto proclamados guardiões da lei e da ordem ordem em Archadia. São a guarda de elite da Casa Solidor, o que efetivamente faz deles os comandantes do Exército Imperial. Se quer saber, eles são mais executores do que juízes. Não são muito legais, de qualquer maneira. O que estão fazendo aqui?

Gabranth: O Imperador deseja fazer vista grossa em favor dos seus servos mais talentosos. Entretanto, aqueles que não demonstrarem respeito receberão nada em retorno.

Ba’Gamnam: Excelência...

Gabranth: Você viaja livremente por nossas terras porque é o desejo do Imperador. Estou correto? Onde está o Capitão?

Guarda#1: Colocamos ele na solitária, Vossa Excelência. Estamos prontos para iniciar nosso interrogatório.

Gabranth: Isso não lhe diz respeito, caçador de recompensas.

Ba’Gamnam: Ele está aqui em algum lugar! Encontrem-no!

Bangaa#1: Bwagi, por ali!

Bwagi: Eu estava indo por aqui!

Bangaa#1: O que é aquilo?

Balthier: Hora da lebre caçar a raposa!

Vaan: Hãn?!

Fran: A mágica que esconde a porta para a prisão é bem forte. Forte demais mesmo para o meu talento.

Balthier: É por isso que faremos com que eles a abram para nós.

Vaan: Como ir mais fundo dentro desse palácio...

Balthier (interrompendo): Qual o problema? Não confia nela? O nariz das vieras são apurados. Se ela disse que tem uma saída é porque existe uma saída.

Fran: Vejam!

Balthier: Ah! o depósito de relíquias e armamentos apreendidos da prisão.

Vaan: Então, nossas coisas estão aqui?

Balthier: É exatamente o que eu disse! Tem mais carcereiros do que guardas aqui embaixo. Já tive minha cota de correntes. Vamos avançar com cautela, pode ser?

Gabranth: Emagreceu bastante, Basch. Menos que uma sombra. Menos que um homem. Sentenciado à morte e ainda assim está vivo. Por quê?

Basch: Para silenciar Ondore. Quantas vezes terei que dizer isso?

Gabanth: É só isso?

Basch: Por que não pergunta diretamente pro Vayne? Ele não é um dos seus mestres?

Gabranth: Pegamos uma líder da Insurgência. Está à caminho, trazida de Rabanastre. A mulher chamada Amalia.

Basch: Quem pode ser essa?

Gabranth: Quanta fidelidade de um cão agarrado a um reino caído.

Basch: Melhor do que jogá-la fora.

Gabranth: Jogar fora? Do mesmo jeito que jogou a nossa terra natal?

Basch: Quem está aí?

Balthier: É esse o lugar?

Fran: O Mist flui através dessa sala. Deve ir para algum lugar.

Basch: Vocês! Não são imperiais. Por favor, precisam me soltar...

Balthier: É contra os meus princípios falar com mortos. Especialmente quando se trata de regicidas.

Basch: Eu não o matei.

Balthier: É mesmo? Muito bom saber disso.

Basch: Por favor, me soltem. Pelo bem de Dalmasca.

Vaan: Dalmasca!? Quanto se importa com Dalmasca? Tudo que aconteceu foi por sua causa! Todos que morreram. Cada um deles! Até o meu irmão... Você matou o meu irmão!

Balthier: Quieto! Os guardas vão ouvir.

Fran: Vou derrubar isso!

Balthier: Piratas sem um céu.


Venha jogar conosco!

  


0 comentários:

Posts relacionados: